Keira Christina Knightley completa esta quinta-feira, dia 26 de março, 35 anos de uma vida repleta de cinema e caridade, mas alguns obstáculos. A famosa atriz e modelo britânica nasceu a 26 de março de 1985 em Teddington, Londres.

Keira, que na verdade deveria ser Kiera, não fosse um erro na soletração enquanto a mãe registava o nascimento, iniciou a sua carreira bastante cedo. Filha de Will Knightley e Sharman MacDonald, dois atores, aos três anos deparou-se com o agente da família e pediu também um, pois já queria ser atriz. Contudo os pais mostraram-se relutantes, pois achavam cedo e queriam que se concentrasse nos estudos por um pouco, visto que demonstrava uma grande dificuldade a ler e a escrever, embora não fosse oficial que seria dislexia.

Aos seis anos, com muito esforço, conseguiu ultrapassar o problema e, como recompensa, os pais decidiram contratar um agente para ela. Fruto desta decisão, a atriz teve o seu primeiro papel num episódio da série Screen One (1993).

Keira Knightley em Piratas das Caraíbas

Após manter uma participação tão ativa nos anos 90 como no seu começo, Keira Knightley teve o seu “boom” em 2003. Com o lançamento da saga Piratas das Caraíbas, a atriz, Johnny Depp e Orlando Bloom conseguiram a estreia mais famosa do ano, que faturou cerca de 645 milhões de dólares.

Após um enorme sucesso, por vezes espera-se que os atores desapareçam um pouco do ativo. Não foi seu o caso, esta manteve-se em vários filmes e de géneros bastante variados, alguns dos quais com uma preparação muito exigente. Uma vez, chegou mesmo a ter que aprender boxe, luta, tiro ao arco e equitação quatro vezes por semana durante três meses. Todo este trabalho foi, felizmente, recompensado. Os leitores da Hello! Nomearam-na “estrela mais promissora da indústria cinematográfica” e a revista Times dedicou-lhe um espaço de elogios, onde sublinhou o seu foco pessoal e profissional.

Em 2005, realizou um sonho. Desde os sete anos afirmava ser amante de Orgulho e Preconceito e foi-lhe concedida a oportunidade de interpretar Elizabeth Bennet. Veio, deste filme, uma maré gigante de críticas positivas e nomeações, inclusive para os Óscares como Melhor Atriz. Trouxe-lhe ainda uma relação com o colega Rupert Friend, que chegou ao fim dois anos depois.

Keira Knightley em Orgulho e Preconceito

Depois deste enorme sucesso, em 2006, Keira Knightley fez um ano sabático porque sentir ter chegado ao fim da fase inicial da sua carreira. Voltou com força, mas 2007 foi um ano complicado e processou o Daily Mail por publicar um artigo sobre a sua anorexia. Contudo, venceu e, juntando algum dinheiro ao da indemnização, ofereceu 12 mil dólares à Beat, uma instituição de caridade que apoia quem tem distúrbios alimentares.

Em 2012, a britânica protagonizou Anna Karenina, um papel também muito bem recebido pela crítica, apesar do maior sucesso financeiro ter sido com Piratas das Caraíbas – o Cofre do Homem Morto (2006). Destaco ainda, O Jogo da Imitação (2014), onde muitos consideram que tenha um papel desvalorizado.

Com todos estes feitos, seria de esperar que não tivesse tempo para mais. No entanto, a atriz está casada com James Righton desde 2013 e tem já dois filhos. É ainda bastante conhecida por ser altruísta, gentil e dinâmica perante os menos afortunados. Vídeos para a agência de refugiados da ONU, Green Carpet Challenge, rosto de uma campanha da Amnistia Internacional, trabalho de campo na Etiópia, feminista assumida, entre muitos outros.

Resta-nos desejar que Keira Knightley mantenha a sua grande qualidade na área e, também, a generosidade face a quem pode menos. De filmes da infância (como Piratas das Caraíbas), a clássicos (como Orgulho e Preconceito), passando por surpresas agradáveis (como O Jogo da Imitação) e uma variedade enorme de géneros, podemos afirmar que a atriz é uma das caras definidoras de uma geração.