O real e o superficial alinham-se num perfeito equilíbrio para criar uma das mais conhecidas e icónicas comédias românticas: Breakfast at Tiffany’s. Durante os anos 60, o filme foi capaz de retratar a forma como a sociedade nova-iorquina se comportava.

Esta longa-metragem simples, mas adorável conta-nos a história de Holly Golightly (Audrey Hepburn), uma socialite e acompanhante de luxo que vive em Nova York. A protagonista acaba por criar uma ligação com o seu novo vizinho, o que interfere no seu objetivo de casar com um homem rico. Ao longo da história, o passado da jovem é revelado, o que complica a sua relação com Paul (George Peppard) e a faz  perceber o que realmente importa.

Breakfast at Tiffany's

Audrey Hepburn desempenha um papel extremamente importante. Conhecida como um ícone do cinema, entrega a Holly uma identidade essencial que nos mantém presos ao filme. A sua personagem cria uma identidade e esconde quem realmente é para se sentir confortável.

Apesar de ser uma história simples, as personagens e as suas características alimentam o enredo. Breakfast at Tiffany’s usa as últimas como estimuladoras da história, onde a boémia e a inocência se encontram de mãos dadas. Todas têm um papel importante e satirizam as figuras características de uma sociedade que quer dar nas vistas.

Os diálogos são extremamente inteligentes e a vida parece ser fácil, tudo parece ser possível. Encontramos ainda espaço para o humor, de uma forma clássica e simples. Todo o ambiente que envolve o filme torna-o mais especial. É algo que nos aquece o coração e nos faz querer envolver em casacos cor de laranja e aventurar-nos pelas ruas de Nova York.

Breakfast at Tiffany's

Algo que também se destaca na longa-metragem é o facto de todos os ambientes encaixarem no momento certo, bem como a forma dramática como algumas cenas são retratadas. A banda sonora acompanha todos os momentos e, com Holly, cantamos “Moon River” à janela.

Apesar de ser um romance, o trabalho é pouco convencional e foca-se mais na forma como devemos deixar o medo para trás e partir em busca da felicidade. Trata a relação dos protagonistas com naturalidade e, com eles, vamos percebendo a importância de valorizar as coisas mais simples.

Breakfast at Tiffany’s é então uma produção que demonstra a importância de nos sentirmos confiantes e não escondermos quem realmente somos. No meio de todos os seus problemas, Holly ensina-nos que sermos nós próprios é suficiente e que, às vezes, só precisamos de comer um croissant em frente a uma joalharia.