Robert Downey Jr celebra este sábado, dia 4 de abril, o seu 55° aniversário. É um dos atores mais reconhecidos de Hollywood, essencialmente pelo seu papel de Homem de Ferro no universo da Marvel. Apesar de ser uma das estrelas com mais influência, passou por períodos atribulados devido ao abuso de drogas e problemas legais

O ator nasceu a 4 de abril de 1965 em Nova Iorque. Começou a carreira aos cinco anos no filme Pound (1970), realizado pelo seu pai, Robert Downey Sir. A participação nas produções do pai foi algo que se repetiu ao longo dos anos, como em Hugo Pool (1997). Aos seus 11 anos, os pais divorciaram-se e Robert foi viver para a Califórnia com o pai. Aos 17, largou os estudos e regressou a Nova Iorque para apostar na carreira de ator.

Robert Downey Jr em Sherlock Holmes

Nos anos 80, começou a crescer no teatro, incluindo em peças da Broadway. Em 1985 juntou-se ao novo elenco do Saturday night live, mas depois de várias críticas negativas, todo o elenco foi substituído.

Depois do teatro, a sua carreira de Robert Downey Jr começou a crescer em filmes “coming of age”. Em 1987 estreou-se como protagonista no filme O Ás do Engate e encarnou uma das suas personagens mais aclamadas na altura, Julian Wells, em A Última Viagem em Beverly Hills. Apesar de fortemente elogiado pelo papel incrivelmente emotivo no último, foi uma espécie de “fantasma do natal futuro”, devido à dependência de drogas que desenvolveu na década seguinte. No entanto, o sucesso do personagem rendeu-lhe a participação em filmes como Como o Céu Se Enganou (1989), Air America (1990) e Os Desvairados (1991).

Em 1992, conquistou a primeira nomeação ao Óscar de Melhor Ator devido ao papel de Charlie Chaplin, para o qual se preparou extensivamente, ao aprender a tocar piano e jogar ténis com a mão esquerda. Acabou por perder para Al Pacino. Foi também nessa década que quase perdeu tudo devido a problemas com drogas. O ator frequentou vários centros de reabilitação. Quando parecia ter recuperado, juntou-se ao elenco de Ally McBeal (1997-2002), graças ao qual foi, mais uma vez, muito elogiado e ganhou um Globo de Ouro. Acabou por abandonar a série devido ao vício em drogas e consecutivas acusações criminais.

Robert Downey Jr em Homem de Ferro 3

O seu retorno ao cinema deveu-se em parte a Mel Gibson, que pagou a sua caução para o filme O Detetive Cantor (2003). Mas só em 2008 é que voltou a participar em grandes filmes, como Tempestade Tropical que, apesar de controverso e um tanto problemático, lhe valeu uma nomeação ao Óscar de Melhor Ator Secundário. No mesmo ano, protagonizou o seu papel mais icónico, Homem de Ferro, e deu início ao tremendo sucesso do universo da Marvel.

Podemos então considerar Robert Downey Jr uma espécie de Fénix. O americano conquistou o sucesso e quase o perdeu no vício, mas renasceu das cinzas como um dos atores mais amados da década. A maioria conhece-o como o “génio, bilionário, playboy e filantropo” do universo Marvel, ou Sherlock Holmes dos filmes de 2009 e 2011. Porém, é um ator versátil e carismático que aprendeu com os erros. Tornou-se uma inspiração para milhares de fãs e um exemplo de superação num problema que é tão intrínseco de Hollywood.