Homem do jogo

Trincão

Batalhou e tentou muito. Foi sempre procurando chegar à baliza adversária com várias habilidades e conseguiu mesmo marcar um golaço, aos 42 minutos, que deu início à reviravolta, depois da turma bracarense estar a perder por 1-2. A par de Galeno (marcou o segundo golo da equipa e assistiu o primeiro), foi uma peça essencial para a construção do resultado.

Em cima

Primeira parte

Oportunidades, vontade de vencer e entrega. Os primeiros 45 minutos do encontro pautaram-se por estes princípios e resultaram em quatro golos, dois para cada lado. Intensa desde o primeiro minuto, a primeira metade do jogo trouxe várias chances de perigo de ambas as partes e um equilíbrio que justificou o 2-2.

Segundo golo bracarense

É de ficar na retina o golo de Trincão. O jovem português já tinha tentado a sua sorte de longe antes, mas o esférico tinha saído fora do alvo. Contudo, o avançado, que, no fim da época, voará até Barcelona, voltou a carregar no seu pé esquerdo, colocou a bola na gaveta e deixou Douglas a segui-la só com os olhos.

Em baixo

André Horta

A grande penalidade que cometeu aos 15 minutos apagou-o do jogo. Deixou de contribuir ofensivamente e defensivamente deixou de conseguir acompanhar os médios vimaranenses, causando algumas brechas na defesa da casa. Acabou por dar lugar a João Palhinha, ao intervalo.

David Carmo

O mau posicionamento no golo de Bruno Duarte explica bem o jogo do jovem central. Alguns maus passes e algumas falhas nos cortes fazem o cardápio completo do defesa neste encontro.

Davidson

O avançado manteve-se ativo no jogo, mas a última decisão que tomava ficava sempre a desejar. Ou soltava a bola tarde e a más horas ou acabava mesmo por ser desarmado. A juntar-se a isto, a falha aos 19 minutos de um golo que era certo é inexplicável.

Recorde as incidências da partida.