Reabertura de portas a clientes com modo e regras restritas.

Por todo o país, os bares e as discotecas vão poder abrir portas. Isto, se operarem consoante com as regras já aplicadas aos cafés, pastelarias e casas de chá, de acordo com a legislação que foi aprovada em Conselho de Ministros.

As normas foram aprovadas pelo plenário de Governo, presidido pelo ministro de Estado da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, esta quinta feira. O executivo vai permitir que os bares e discotecas retomem atividade, a fim da retoma de alguma normalidade. No entanto, com serviços limitados e com a proibição de que estes locais possam ser usufruídos enquanto espaços de dança e/ou de convívio próximo.

“Permanecem encerrados os bares, outros estabelecimentos de bebidas sem espetáculos e os estabelecimentos de bebidas com espaço de dança, mas passam a poder funcionar como cafés ou pastelarias, sem necessidade de alteração da respetiva classificação de atividade económica”, segundo o comunicado do Conselho de Ministros.

Estes espaços não vão poder servir refeições como os restaurantes, mas apenas fornecer alimentação ligeira, como sanduíches, salgados, entre outros. Desta forma, os bares e discotecas vão poder usar o espaço exterior como esplanada e, quando esta exista, ocupar a pista de dança com mesas, respeitando as normas de distanciamento social decretadas pela Direção-Geral de Saúde. Mas a hora do fecho será às 20 horas na Área Metropolitana de Lisboa e à uma hora da manhã no resto do país.

Também foi aprovado o alargamento dos horários da restauração. Os restaurantes passam a poder funcionar até à uma da manhã, podendo os clientes entrar até à meia-noite, incluindo na Área Metropolitana de Lisboa. No entanto, aqui, todos os outros estabelecimentos onde não haja serviços de refeições continuarão a ter de fechar às 20 horas.