A promover a reutilização do material escolar, o apoio da associação barcelense chega a 150 famílias todos os anos.

O Banco de Manuais e Material Escolar já retomou a sua atividade. Avizinha-se um novo ano escolar e, com ele, várias despesas na papelaria. Com a missão de ajudar famílias carenciadas, a iniciativa parte da associação barcelense SOPRO – Solidariedade e Promoção.

O material distribuído parte da reutilização e de algumas doações. Para receber o kit escolar, é necessário contactar a instituição e marcar uma entrevista com técnicos da Ação Social. Na prova de vulnerabilidade, “normalmente, são necessários documentos como IRS, vencimento, abono escolar e despesas”, explica João Silva, responsável pelo projeto, em declarações à RUM.

Os manuais entregues às famílias estão “em bom estado”, sendo que os mais fragilizados são encaminhados para a reciclagem. “Com o dinheiro que ganhamos da reciclagem, conseguimos também comprar material escolar”, avança o responsável. O equipamento provém ainda de doações de empresas locais e de atividades de recolha em supermercados. Este ano, uma papelaria vimaranense fechou portas e contribuiu com o stock acumulado.

Embora numa fase inicial a ajuda chegue a cerca de 115 famílias, maioritariamente do concelho de Barcelos, o número sobe para as 150, durante o ano. Ainda assim, a missão da SOPRO não se limita ao território nacional e a associação mantém laços com Moçambique. Os livros que não estão em vigor em Portugal são muitas vezes reencaminhados para lá.

A SOPRO estende também a sua ação social a várias outras situações, noutros pontos do país e para lá do material escolar. “Quando aconteceram as catástrofes na Beira, enviámos vários contentores com bens essenciais”, referiu João Silva.