O objetivo é manter esta população ativa durante o confinamento provocado pela pandemia de Covid-19.

Nadine Santos, investigadora no Instituto de Investigação em Ciências da Vida e da Saúde (ICVS) na Escola de Medicina da UMinho (EMUM), desenvolveu o projeto GIRO. A iniciativa conta com uma plataforma gratuita disseminada através das redes sociais, que disponibiliza atividades diárias para a população sénior.

Com a pandemia atual, surgiu a necessidade de fazer chegar às pessoas, e em particular aos idosos, métodos capazes de estimular e incentivar a atividade física e cognitiva dentro de casa. Assim, o projeto GIRO aparece com o objetivo de combater os efeitos negativos da estratégia de isolamento físico e social.

“Estar em casa não significa estar parado, podemos continuar ativos. Contudo, por vezes faltam ideias sobre o que fazer e como fazer. O projeto surge então como uma plataforma que, através da internet e das redes sociais Facebook, Instagram e WhatsApp, promove diariamente sugestões de atividades físicas para fazer em casa”, conta a investigadora da UMinho ao “90 segundos de ciência”.

“Tem sido uma experiência muito positiva. Chamamos o projeto de GIRO porque queremos mesmo que seja uma experiência gira. Assim como queremos que todos os dias seja publicado um conteúdo interessante e apelativo”, remata.