A iniciativa surgiu quando um grupo de alunos ingressou para o mundo do trabalho e apercebeu-se que não estava preparado para o mesmo.

A Vision Minho Legal Lab é uma júnior iniciativa que trabalha para a promoção do contacto entre os estudantes da Universidade do Minho e o mercado de trabalho. Em conversa com o ComUM, a fundadora Ana Peixoto e o presidente Tiago Vidal falaram sobre a iniciativa e a sua importância.

“Tínhamos começado a jornada na procura de trabalho e, quando deparados com um conjunto de estudantes mais bem preparados para entrevistas, percebemos que precisávamos de maior preparação”, confessa Ana Peixoto, fundadora da associação. “A ansiedade era grande, ninguém sabia o que esperar daqueles momentos e eles sabiam como agir perante situações assim”, adiciona.

Por considerarem que os cursos não formam o suficiente a nível emocional e, ainda, pelo mercado de trabalho ser mais competitivo e exigente, a Vision Minho Lab foi concebida de alunos para alunos. “O nosso objetivo é tornar os estudantes potencializadores e diferenciadores, em relação aos outros possíveis candidatos. Percebemos que a UMinho é um rótulo no nosso currículo que nos permite atingir um patamar diferente e superior”, afirma Ana Peixoto. O presidente Tiago Vidal concorda com a fundadora e admite que já sentia “falta de preparação” quando ainda frequentava o primeiro ano de licenciatura.

https://www.instagram.com/p/CFIZsOVAs0r/

A tarefa de construir um perfil do profissional ideal no século XXI é “uma preocupação”.  “Sabemos que não basta exibir um canudo de recém-licenciado para trabalhar, porque a competitividade é muita. No fundo, queremos tentar dotar os estudantes de soft e hard skills que são indispensáveis para o futuro”, sustenta Tiago Vidal. Quem faz parte desta associação, consegue “potenciar e desenvolver os seus próprios currículos e as suas próprias competências, num ambiente que lhes dá abertura e espaço para se desenvolverem a si mesmos”.

Quando questionados sobre o trabalho que desenvolvem, Ana Peixoto utiliza quatro adjetivos para o descrever: “ambicioso, criativo, multidisciplinar e, acima de tudo, proativo”. Simultaneamente, a fundadora refere o facto de os alunos da academia minhota serem “bons tecnicamente, mais criativos e práticos”.

A maior vantagem de pertencer à Vision é estarmos numa fase de crescimento exponencial e embrionária. Ou seja, qualquer pessoa pode ser criativa aqui dentro em qualquer momento”, reforça a fundadora.

A Vision Minho Lab cria oportunidades como estágios, cursos intensivos e formações certificadas. O facto de uma pessoa integrar a Vision Minho Lab não significa que fique automaticamente impossibilitado de ter um cargo numa outra associação ou numa outra júnior empresa. “Aliás, pode ser um ponto a favor de um possível candidato a membro da Vision ter já essa experiência e esse background de integrar uma outra associação”, menciona Tiago Vidal.

Para conseguirem chegar a um maior número de estudantes, a iniciativa aposta nas redes sociais, nomeadamente o Instagram e o Facebook. “A crise pandémica tornou ainda mais evidente esta necessidade de nos fazermos presente no online. É inevitável servirmo-nos destas ferramentas digitais para chegar aos alunos”, diz o presidente.

A associação é composta por um departamento de marketing e comunicação, um departamento de recursos humanos, e um departamento de relações externas, bem como, um tesoureiro. Incluem, ainda, um conselho consultivo, composto pelos fundadores, e um conselho Alumni, acabando por ser “um ponto positivo porque se acaba por construir uma família dentro da Vision”.

O primeiro grande evento da Vision Minho Legal Lab vai acontecer nos dias 29 e 30 de outubro, através dos meios digitais. Focado no mundo do desporto e com uma abordagem multidisciplinar e abrangente, vai contar com oradores de várias áreas.

Artigo por: Maria Carvalho e Mariana Festa