Eficácia e organização defensiva foram os segredos dos arsenalistas.

O SC Braga deslocou-se, este domingo, ao Estádio da Luz para defrontar o SL Benfica. A partida da sétima jornada da Liga NOS terminou com um resultado favorável à equipa minhota, que venceu os encarnados por 3-2, depois de um jogo bem disputado e com muitos golos.

A equipa da casa dominou os primeiros minutos do jogo, e a primeira oportunidade não demorou a acontecer. Aos dez minutos, Pizzi bateu o canto para Otamendi, que cabeceou para o coração da área, onde Jan Vertonghen, com um pontapé de bicicleta, rematou para a defesa do guardião bracarense. Nos minutos seguintes o Benfica continuou a ameaçar a baliza de Matheus, mas sem grande perigo, graças à coesão defensiva dos pupilos de Carlos Carvalhal.

No resto da primeira parte, o jogo não mudou muito, os encarnados atacaram sem criar grandes ocasiões de golo, enquanto que a turma bracarense manteve a boa exibição a nível defensivo, mas apresentava dificuldades na saída para o ataque. Até que à passagem do minuto 38, os minhotos ameaçaram pela primeira vez a baliza de Vlachodimos, mas Galeno acabou por falhar o golo.

Na jogada seguinte, o SC Braga voltou a atacar com perigo e desta vez não desperdiçou, Iuri Medeiros de pé esquerdo e à entrada da área, rematou sem hipóteses para o guarda-redes do SL Benfica, fazendo o primeiro golo do encontro. O SL Benfica não conseguiu reagir e o jogo foi para intervalo com o marcador a apontar 0-1, a favor dos Gverreiros do Minho.

No regresso ao relvado, o SL Benfica voltou a entrar mais forte, mas sem sucesso. Ao minuto 50, o clube do Minho voltou a faturar, Al Musrati assistiu Francisco Moura, que não vacilou no um para um com Vlachodimos, e fez o segundo dos bracarenses. Os encarnados tentaram responder à desvantagem com várias investidas por parte dos avançados, todas sem sucesso.

Novamente contra a corrente do jogo, o SC Braga fez o 0-3, ao minuto 65, depois de um desentendimento entre Otamendi e Vlachodimos, a bola acabou por sobrar para Francisco Moura que bisou na partida, dando assim três golos de vantagem à sua equipa. Logo de seguida, as águias reagiram, quando à passagem do minuto 68, Rafa cruzou para os pés de Seferovic, e o suíço de pé direito reduziu para 1-3. Ao minuto 71, o avançado voltou a ameaçar a baliza bracarense, mas desta vez Matheus evitou o golo.

Passado alguns minutos, Waldschmidt, em cima da linha de baliza, voltou a desperdiçar uma grande oportunidade para fazer o segundo da equipa lisboeta. Ao minuto 77, foi a vez dos minhotos ameaçarem a baliza encarnada, Galeno rematou em chapéu, mas o guardião benfiquista negou o golo com uma grande defesa.

À passagem do minuto 87, e depois de várias jogadas de perigo, surgiu o segundo tento da turma de Jorge Jesus. Grimaldo serviu Seferovic que, na cara do guarda-redes, rematou para o fundo das redes, colocando os arsenalistas com apenas um golo de vantagem. Antes do apito final, o esférico voltou a entrar na baliza da equipa minhota, mas o avançado suíço estava em posição de fora de jogo. Apesar do susto final, o SC Braga acabou por vencer a partida e levar os três pontos para o Minho.

Com esta vitória, os bracarenses somam 15 pontos na Liga NOS e sobem ao segundo lugar da tabela classificativa, empatados em pontos com o SL Benfica. No próximo jogo, os minhotos visitam o Trofense, numa partida a contar para os 32 avos de final da Taça de Portugal.

Recorde ainda: Gil Vicente derrotado no terreno do CD Nacional