No passado dia 14 de dezembro, Slow j presenteou-nos com mais um álbum: sLo-Fi. Apesar de um pouco fora do registo normal, o artista não desiludiu e, para muitos, foi uma prenda de natal antecipada.

Todo o álbum é composto por músicas do estilo lo-fi, que é conhecido pela baixa qualidade das técnicas de gravação e apenas composto por beats. No entanto Slow j, com as nove músicas que compõem sLo-Fi, leva-nos numa viagem que nos faz explorar cada pormenor da nossa mente.

altamont.pt

Slow J lançou o álbum perfeito para quando queremos estudar, ler um livro ou até mesmo meditar. Sem as distrações de letras e produções de músicas excêntricas, este álbum não nos permite divagar e para muitos vai ser uma ferramenta de concentração durante mais um longo ano.

As nove faixas do álbum têm uma essência diferente, mas que formam um todo extremamente completo. Todas as músicas são relativamente curtas, que fazem com que o álbum não se torne maçador.

AGoodLife”, faixa inicial do álbum, é a maneira perfeita de começar o mesmo. Composta por beats calmantes com altos e baixos, cria borboletas e arco-íris na nossa mente e, enquanto ouvimos esta pequenina obra de arte, decerto fugimos um pouco da realidade.

Todas as seguintes faixas transmitem-nos as mesmas vibrações da primeira. No entanto, sinto que esse era o objetivo do artista quando criou este belíssimo projeto. Apesar das parecenças, não posso deixar de mencionar alguns dos sons do álbum que me trouxeram sensações tão diferentes, mas, ao mesmo tempo, tão semelhantes.

A terceira e quarta faixas de sLo-Fi: “SunnyMondayAfternoon” e “Uivos”, respetivamente, são pequenos tesouros com uma composição simples, mas que trazem aos nossos ouvidos um bocadinho de céu.

De seguida, não me posso esquecer da sexta faixa do álbum, “Numbers”, que, apesar de não ter uma componente tão animada quanto algumas das outras, é das minhas favoritas. A sensação que transmite é de extrema serenidade, com algumas ondas que remetem até para a tristeza. Por outro lado, com menos oscilações musicais, traz-nos a paz interior que às vezes tanto desejamos.

A última faixa do álbum, “Homeland”, é mais uma criação de Slow J que acalma a alma. Mais uma vez perfeita para a sua posição no álbum pois remete para a paz de chegar a casa depois de um dia longo, tomar um banho e simplesmente aproveitar o que resto dia. Tal como a última faixa transmite.

Quero destacar também o enquadramento do nome das faixas com o conteúdo da própria faixa. Todas as músicas de sLo-Fi remetem, de certa forma, para o nome que lhes foi dado. E foi um ótimo trabalho da parte de Slow J, visto que projetar esta parte do álbum não é tão fácil quanto parece, principalmente em faixas apenas com beats e sem letra.

Por último, admito que já sou uma fã do artista há bastante tempo e que o estilo Lo-fi tem estado cada vez mais presente na minha vida. Portanto era quase impossível não gostar deste pequeno projeto que Slow J nos trouxe como prenda de Natal. No entanto, aconselho o “sLo-Fi” a todos os que gostam de música, pois, apesar de ser um álbum simples, tem um conteúdo extremamente bom.