Mel Gibson celebra o seu 65º aniversário este domingo, dia 3 de janeiro. O ator apresenta uma carreira vasta e diversificada, caracterizada por um imenso talento. No entanto, esta foi também, muitas vezes, manchada pelas polémicas em que este se envolveu.

Filho do escritor Hutto Gibson e neto da cantora de ópera Eva Mylott, nasceu em Peekskill, Nova Iorque- De acordo com Mel, o seu nome próprio advém da Catedral de São Mel, um santo irlândes do século X, fundador da diocese da terra natal da mãe do ator. Frequentou o ensino secundário, num colégio católico na Austrália. Atualmente reside no mesmo local e de forma permanente.

Com o cognome de “Herói de Ação” devido à sua participação nas sagas de filmes Mad Max (1979-Presente) e Arma Letal (1987-Presente), e na produção Gallipoli (1981), estreou-se na televisão, em 1976, como ator recorrente na série Os Sullivans. Nesse mesmo ano, também se iniciou no Teatro, na peça Le Chateau d’Hydro-Therapie Magnetique, ao lado do Steve Bisley, com quem viria a contracenar em mais 3 peças.

Outros filmes de sucesso que contaram com a presença de Mel foram O Ano de Todos os Perigos (1982), Revolta no Pacífico (1984), Hamlet (1990), Braveheart: Desafio do Guerreiro (1995). Momentos antes do lançamento deste último filme, Gibson envolveu-se numa polémica onde foi acusado de ser homofóbico pela GLAAD após um comentário numa entrevista. Foi também com este filme que ganhou o Óscar de Melhor Filme e Melhor Realizador. Em 2004, o ator e realizador envolveu-se em mais uma controvérsia, uma vez que o filme A Paixão de Cristo foi acusado de antissemitismo.

Aventurou-se como realizador, pela primeira vez, em 1993, através da película Um Homem Sem Rosto. Seguiram-se outros filmes de enorme bilheteira em que assumiu esta função, tais como Apocalypto (2006), em que assumiu também o papel de roteirista, e O Herói de Hacksaw Ridge (2016), que recebeu diversas nomeações em diversas premiações, conseguindo ganhar dois Óscares.

Mais recentemente, atuou nas obras cinematográficas O Professor e o Louco (2019), Força da Natureza (2020) e Fatman (2020). Atualmente, está a trabalhar nas produções Boss Level: O Último Nível e Last Looks, ambos com estreia prevista para 2021.

No mercado das séries televisivas, Gibson teve um papel de relevância na série australiana Cop Shop (1977-1984). Sem data de estreia marcada, Gibson irá participar na série The Barbary Coast, a qual também escreveu e produziu.

Considerado o homem mais sensual vivo, pela primeira vez, em 1985, pela revista People, Mel foi casado com Robyn Moore por mais de 20 anos, divorciando-se em 2011. Deste casamento, resultaram 7 filhos, incluído o ator Milo Gibson. Envolveu-se também com a cantora-compositora e pianista russa Oksana Grigorieva, com que partilha uma filha e que o acusou de violência doméstica, chegando até mesmo a ser proibido de se aproximar dela e da filha devido a uma ordem de restrição. Desde 2014, o ator encontra-se numa relação com a antiga campeã de volteio Rosalind Ross. No ano de 2017, o nono filho de Gibson nasceu.

Apesar de se denominar um católico devoto e um homem ultraconservador no que toca a política, Mel Gibson já se envolveu em inúmeros escândalos nada ortodoxos. Através dos Jeffrey Leaks, foi revelado que este possuiu vastas quantias em contas offshore. Após conduzir sob efeito de álcool e colidir, em 1984, foi banido por três meses de conduzir no Canadá.

Mesmo após um ano de recuperação numa quinta australiana, os problemas com a bebida continuaram, chegando o pensamento de suicídio à mente do ator. Em 2006, voltou a ser preso, mais uma vez, por conduzir sob efeitos de bebidas alcoólicas. Para piorar a situação, os registos de prisão declaram que Gibson teria afirmado, de forma agressiva: “Malditos Judeus … Os Judeus são responsáveis por todas as guerras no mundo”, e ainda “É desta que a Robyn me deixa”. Numa entrevista televisiva com Diane Sawyer, o ator desculpou-se pelo seu terrível comportamento.

Estas ações polémicas fizeram com que o ator ficasse na “lista negra” de Hollywood por mais de uma década. Porém, o filme O Herói de Hacksaw Ridge (2016) marcou o seu regresso à indústria.

Com cerca de 50 créditos como ator, nove como produtor, cinco como realizador e três como roteirista, Mel Gibson foi um nome que se consolidou e transformou durante décadas. O seu talento deu origem a uma carreira de sucesso multifacetada e imenso reconhecimento pelo mundo. O seu percurso é admirável, ainda que contenha vários estampados das mais diversas polémicas que levaram o público a questionar-se que tipo de pessoa é este homem.