Este domingo, dia 28 de março, Lady Gaga celebra o 35º aniversário. Depois de mais de uma década de carreira, a cantora continua a reinventar-se, provando que é possível ser mestre em várias áreas.

A 28 de março de 1986, nascia Stefani Joanne Angelina Germanotta, em Manhattan, Nova Iorque. Stefani sempre foi influenciada pelas artes e sonhava com o estrelato e papéis no grande ecrã. Poucos concordavam com os seus grandes sonhos, sendo considerada “esquisita” pelos colegas, a descendente de italianos era vítima de bullying. Quando andava no secundário, os colegas da escola criaram um grupo no Facebook dedicado a gozar com a cantora chamado “Stefani Germanotta nunca vais ser famosa”.

en.vogue.me

A nova-iorquina entrou na Escola de Artes Tisch da Universidade de Nova Iorque que é uma das faculdades de artes cênicas e cinematográficas mais qualificadas do mundo. Depois de anos sem sucesso a tentar criar um nome na indústria do cinema, Stefani descobriu uma nova paixão, a música. Em 2005, criou a banda Stefani Germanotta Band (SGBand) com alguns amigos e com quem lançou dois EPs, Words e Red and Blue, nesse mesmo ano.

Depois da separação dos SGBand, a futura Lady Gaga começou a trabalhar com alguns produtores musicais de Nova Iorque. Foi aí que, depois de ver a voz comparada com a de Freddie Mercury, e inspirada na música “Radio Ga Ga” de Queen, que nasceu o nome Lady Gaga. Nome artístico pelo que é conhecida e que é reconhecido pelo planeta inteiro.

Em inícios de 2008, Lady Gaga conheceu o produtor RedOne, com quem gravou os hits intemporais “Just Dance” e “Poker Face”. Quando chegou agosto, o mundo ouviu o debut de uma das maiores artistas da história, The Fame, que em 2009 era relançado como The Fame Monster, um projeto com 24 músicas que desafiavam o que, até então, era considerado pop. Entre elas, estava “Bad Romance” uma das músicas mais icónicas de sempre, cujo videoclipe foi, durante anos, o vídeo mais visto no YouTube.

Em 2011, Lady Gaga declarava-se um ícone LGBTQ+ com o segundo álbum de estúdio, Born This Way. Trata-se de um projeto de controvérsia e sucesso, sonoramente influenciado em música eletrónica e pop. O primeiro single de mesmo nome tornou-se o hino oficial das comunidades Gay, Bissexual e Trans por todo o mundo. Na Páscoa de 2011, chegou o single Judas” que levantou grande controvérsia nos EUA, país altamente religioso. Esta jogada acabaria por impactar a carreira da artista.

Depois de anos de sucesso incomparável, em 2013, chegou ArtPop. Inspirada no movimento artístico PopArt, Lady Gaga lançou um álbum altamente experimental com elementos de EDM, disco, hip-hop, house e dark pop. O álbum produziu os singlesApplause” e “G.U.Y.”. Apesar de atualmente ser considerado vencedor do teste do tempo, o álbum não foi bem recebido pelos críticos contemporâneos que esperavam pop facilmente compreendido.

No maior vale da carreira enquanto popstar, Germanotta voltou a fazer o impensável. Em 2014, uma aliança entre a cantora e Tony Bennett, o lendário cantor de Jazz. Cheek to Cheek foi um dos maiores desvios artísticos de Gaga, que mostrou a versatilidade da cantora. Este caminho mais calmo e clássico acabou por inspirar o quinto álbum de estúdio, Joanne, 2016. Um trabalho dedicado à falecida tia da cantora, influenciado por música country, rock e uma imagem mais pura. O projeto é facilmente representado pela música “Million Reasons”.

Em 2020, depois de quatro anos de pausa na música a solo, Lady Gaga regressou às suas origens com Chromatica. Um projeto que cria um planeta de diversão, superação e amor próprio, foi lançado durante a pandemia e é um dos mais aclamados projetos da longa carreira da cantora. Sons altamente pop, dance e disco dão vida a este universo. “Rain On Me” com Ariana Grande, “Stupid Love” e “911” são alguns dos temas que se ouvem no álbum.

Para além de ser uma das mais apreciadas vozes das últimas gerações, a pequena Stefani conseguiu eventualmente concretizar os seus sonhos de pertencer ao mundo da televisão e cinema. Em 2015, Lady Gaga começou a sua estadia na série American Horror Story, que durou duas temporadas.

Três anos depois, em 2018, saiu Assim Nasce Uma Estrela, o filme que catapultou a carreira de Gaga para um nível inigualável. Provando as suas capacidades enquanto atriz, lado a lado com Bradley Cooper, a pelicula conta a história de uma jovem cantora que alcança o sucesso na indústria. Apesar de ser uma história que transcende gerações, os elementos paralelos à vida da cantora são impossíveis de ignorar. É na banda sonora de Assim Nasce Uma Estrela que encontramos “Shallow”, o hit que, em 2019, se tornou a canção mais premiada da história.

Desde o começo difícil da carreira, Lady Gaga já alcançou inúmeros feitos, incluindo, 12 Grammys, um Oscar, um BAFTA, dois Globos de Ouro e 18 MTV VMA’s. Em 2020, Lady Gaga foi a primeira pessoa a receber o prémio VMA Tricon, dado a quem se destaque em três ou mais áreas que, no caso de Gaga foram: música, cinema, moda e filantropia.

Em 2012, Lady Gaga lançou a Fundação Born This Way com a mãe, sem fins lucrativos, que pretende validar a importância da saúde mental na sociedade, promover bondade e aceitação das diferenças de toda a gente. A organização apoia ainda a criatividade de inúmeros jovens artistas. A Fundação Born This Way é liderada por Cynthia Germanotta, mãe de Lady Gaga.

Lady Gaga sopra 35 velas este ano. Depois de uma das mais reconhecidas carreiras de sempre, a estadunidense está em Itália a gravar o próximo projeto, o filme “House of Gucci”. Nada mau para quem “nunca ia ser famosa”.