Lançado no dia 25 de junho, Planet Her é o novo álbum da artista Doja Cat. Explora uma complexidade sonora cultural autêntica e celestial, levando-nos a viajar para além dos padrões estéticos da música. É um dos projetos musicais mais aguardados do ano, conta com 14 temas e reúne colaborações com grandes vocalistas da indústria musical, como Ariana Grande, The Weeknd e SZA.

Com uma infância próxima das artes e do espiritualismo, Amala Zandile Dlamini apaixonou-se pelo universo musical e, em 2012, materializou o primeiro passo da sua futura carreira com o upload da música “So High” na plataforma de streaming SoundCloud. Mais tarde, a artista norte-americana lançou o seu primeiro EP “Purrr!” – uma produção discográfica de menor duração –, já com um contrato de uma gravadora Sony Music, e construiu, gradualmente, o seu nome em direção aos holofotes.

chicagotribune.com

Hits comerciais como “Juicy” do álbum de estreia autointitulado Amala, a música viral “Mooo!” e ainda “Rules”, “Like That”, “Streets” e “Say So” de Hot Pink elevaram o expoente de popularidade de Doja Cat. Desde então, a artista e compositora de 25 anos foi galardoada com mais de dez prémios de renome, como Artista Revelação Push pela MTV Video Music Awards 2020, Top R&B Female Artist pela Billboard Music Awards 2021 e concretizou também, este ano, a sua performance de sonho nos Grammys. É de salientar que esta nova produção discográfica Planet Her já quebrou o novo recorde mundial de melhor semana de estreia de uma rapper feminina com mais de 113,4 milhões de streamings no Spotify.

Em admirável evolução face ao projeto anterior, este terceiro álbum de estúdio apresenta um universo familiar à rapper, mas mais consistente, pessoal, díspar e criativamente desenvolvido tanto a nível vocal como na produção musical. Planet Her é uma era espacial futurística envolta de frequências sonoras singulares, que nos direcionam para um visual alienígena e uma divindade feminina.

A faixa de abertura, “Woman”, é uma introdução perfeita com melodias afro bem ritmadas, que serve o mote principal do álbum. Doja Cat apresenta-se como uma mulher disponível para amar, mas também para assumir outros papéis além do jogo de sedução. Nos dois versos, a rapper irradia uma mensagem de empoderamento feminino, na qual enfatiza a graciosidade dos seus corpos, glorifica a sua prosperidade e estimula o sucesso de todas as mulheres e inclusive o seu: “Gotta prove it to myself that I’m on top of shit/And you will never know a god without the goddesses/ (…) Don’t even think you ain’t ahead these niggas, dream girl”.

Numa mescla de sonoridades enérgicas Funk e Dance Pop, “Naked” cria uma entrada para uma “selva”, através instrumentais de percussão, que, metaforicamente, se traduzem no desejo de estar com a pessoa no seu estado natural no seu íntimo do imaginário voluptuoso. Numa entrevista para a MTV, Doja revelou que “se pudesse descrever Planet Her em três palavras, provavelmente diria, ‘É para raparigas’”. Não obstante, logo na terceira faixa, “Payday” há uma parceria de estreia com um registo angélico da voz do rapper Young Thug, enquanto narram o êxito amoroso e profissional de cada um.

Segue-se a faixa mais curta de Planet Her. “Get Into It (Yuh)” compõe-se de uma melodia divertida, colorida e alucinante Hip Hop e Trap que condiz com o seu timbre rouco. A expressão “Yuh” é, muitas vezes, relacionada com Ariana Grande que começou a incluí-la na sua discografia desde o álbum Sweetener em 2018 e, por conseguinte, a artista deixa uma mensagem de afeição entre os versos à artista. Segundos antes da música terminar, Doja Cat louva e gratifica a rapper Nicki Minaj por toda a inspiração nesta faixa e noutras da sua discografia, aludindo com o mesmo fluxo vocal um dos versos da música “Massive Attack”, um dos primeiros singles da rainha do Rap: “Thank you, Nicki, I love you/Got that big rocket launcher”.

A quinta faixa, “Need To Know”, é uma das músicas com conteúdo mais explícito que expande a dimensão conceptual do universo Planet Her. Com dois versos coesos e rimas de mestria desigual, Doja apresenta-se seduzida pelo par, descodificando muitos dos seus desígnios aprazíveis. À semelhança de projetos anteriores, o videoclipe ostenta uma atmosfera teatral sensual dentro de um imaginário sobrenatural.

Numa transição suave, há uma reviravolta na narrativa e no reportório estilístico deste projeto musical. “I Don’t Do Drugs” é a terceira colaboração de Doja Cat com Ariana Grande – após “motive” e “34+35 remix” de Positions (Deluxe), o último álbum de Grande até ao momento -, na qual se verifica uma intensificação do amor entre o casal num entrelaçar de lirismo e melodias R&B e Pop. Contudo, o título desta música evoca uma adversidade: a romantização dos seus sentimentos e desejo de algo mais que um “caso” trivial transfigurou o afeto numa obsessão tóxica, semelhante ao efeito de uma droga. Sem dúvida, esta sexta faixa é mais uma prova do sucesso da união de duas das melhores artistas internacionais deste milénio.

Similar ao um interlúdio, “Love to Dream” é uma declaração da ternura de Doja pelo par. Após uma primeira tentativa de afastamento do romance, vislumbra a sua incapacidade de viver um amor puro, dado que passa os seus minutos a comtemplar um futuro idílico a dois – daí o título: “We just love to dream/I fell asleep when you woke up/ (…) I don’t believe what I just lost”. Iniciada com acordes de guitarra elétrica que se prolongam ao longo da música, as harmonias devaneadoras pintam o insucesso amoroso e, por outro lado, desvendam o desenvolvimento da capacidade vocal da artista que se reflete em tons notavelmente sublimes.

“You Right” abre com uma melodia celestial insigne e sonoridade R&B exemplar que são, com certeza, uma aposta segura para segundo single de Planet Her. Insatisfeita com um novo romance, Doja não consegue evitar de fantasiar sobre a outra pessoa que se dirige nas faixas anteriores. Apesar de sentir que está a ser desleal para com o parceiro e negar a reciprocidade do outro lado, The Weeknd confirma a mesma efervescência: “Girl, I want you like you want me too”. É inegável o resultado extravagante desta oitava faixa. Note-se que esta colaboração não é inaugural, porque antecede a “In Your Eyes (Remix)”.

Em entrevista para o segmento Released on YouTube, Doja confidenciou que, após concluir a produção a solo, convidou o artista multiplatinado canadiano, visto que a produção seguia a sua diretriz estilística musical – e ainda bem que assim o fez. O videoclipe de requinte envolto numa ambiência divina, onírica e até astrológica completa o cariz intemporal do álbum.

A nona faixa muda todo o enredo incandescente/fervoroso de Planet Her. “Been Like This” retrata o aproximar do fim da relação sufocado por várias desconfianças e mentiras num estilo etéreo e orquestral R&B. As sucessivas desilusões são refletidas também no som reverberado hipnotizante. Ornamentada com sons de constelação, a entrada de uma cassete ou CD no início da música e no fim o som uma interferência podem simbolizar a transição mental de Doja Cat e ouvir esta faixa é como relembrar a memória de uma relação passada.

Em Planet Her, “Options” anexa à colaboração inesperada com o rapper J.I.D. é sinónimo de rejuvenescimento no plano amoroso exclusivamente carnal. Um ótimo instrumental transporta o ouvinte para um ritmo bem coreografado e essencialmente Rap. O próprio título, “Options”, espelha o trocadilho de ambos serem só uma das suas múltiplas “opções” e disporem de vários locais para satisfazerem os seus desejos libidinosos de forma descomprometida: “You can count on me/To never count on you/I’m only down for you”.

Além de ser uma faixa esperada há mais de um ano pelos fãs após ter sido tornada pública pela própria artista num direto no Instagram, “Ain´t Shit” mostra, mais uma vez, a versatilidade, criatividade e abrangente performance vocal de Doja. Numa confluência de estilos musicais, a artista faz uma alusão direta à labiríntica conceptualização do álbum e ainda uma analogia implícita de como a educação dos seres humanos é distinta da dos seres do Planet Her: “Must be the way that the planets is”. A supremacia da mulher imperatriz transcende ao longo da música e na performance ao vivo de Doja Cat, na qual a mensagem é ainda mais intensificada.

Na faixa “Imagine”, Doja celebra o seu sucesso e ascensão como uma das maiores personalidades no mundo da música com um instrumental moderno – reflexo da sua nova energia e génio. “Imaginar” é a premissa desta música, mas não é precisa, visto que todos os sonhos da artista já fazem parte da sua realidade: “I never been more proud/Need more light on me/Shine on me”. Paralelamente, uma das faixas mais longas de Planet Her com uma acústica de guitarra R&B clássica, som de chuva e ad-lips que ecoam o título é “Alone”. Longe do antigo parceiro, Doja Cat surpreende-se por aprender a viver confortável sozinha.

Lançado a 9 de abril, o primeiro single e colaboração de estreia com a SZA, “Kiss Me More”, abriu portas ao universo intergaláctico de Planet Her e marca também o desfecho deste projeto da mesma forma que começou. Com ritmos nomeadamente Pop, Funk, R&B inspirados na música Disco icónica “Physical” dos anos 80, a faixa 14 encerra a narrativa completando um ciclo: Doja encontra um novo amor que pretende conhecer sem pudor, nem compromissos; SZA enfatiza, metaforicamente, as mesmas emoções na sua voz delicada e enternecedora. O videoclipe sublinha a prevalência do poder prodigioso feminino e expõe uma das múltiplas partes do universo gracioso e sensorial Planet Her.

Dois dias após o lançamento deste terceiro álbum de estúdio, Planet Her (Deluxe) é a edição completa da versão oficial que contém cinco músicas adicionais. Num primeiro impacto, deixa um pouco a desejar comparativamente à obra original, mas estes temas extra que Doja Cat desejou presentear aos fãs, apesar de não seguirem uma narrativa coesa, descortinam uma produção experimental característica da artista norte-americana. “You Right – Extended”, “Up And Down”, “Tonight” – um tema com a colaboração de Eve, considerada uma das melhores rappers do início deste milénio, que suscita uma nostalgia das clássicas melodias R&B old school -, “Ride” e “Why Why” numa estreia colaborativa Trap com o rapper Gunna.

De uma personalidade viral no ciberespaço a uma estrela em ascensão de dimensões planetárias, Doja Cat proporciona um vislumbre exclusivo em órbita de Planet Her da sua versatilidade que se teletransporta numa infinidade de géneros musicais. Repleto de versos com referências criativas, desafiantes e controversas, cada faixa do álbum versa uma energia única e especial. Planet Her é um projeto imperial com a personalidade e brilho que transcende o momento e contribui para a inovação do futuro da galáxia musical.