Decorreu ontem a segunda edição da Simulação da União Europeia, organizada pelo Centro de Estudos do Curso de Relações Internacionais (CECRI), e que pretende levar os estudantes a pensar e discutir assuntos da realidade internacional.

Como é que funciona? Nesta simulação, os participantes representam um estado membro da União Europeia e vão debatendo sobre os temas estipulados que, este ano, se centraram na “crise do sistema europeu: nacionalismos e reações aos processos de integração regional” e na “precariedade e instabilidade laboral no espaço europeu”.

A iniciativa tem como principais objetivos “contribuir para a difusão do sentimento de cidadania europeia, através de discussões de assuntos que tocam, direta ou indiretamente, o nosso dia-a-dia”, começa por explicar Beatriz Silva, presidente do CECRI.

A segunda edição da Simue’17 fechou com balanço positivo, diz Beatriz Silva, conseguindo, “alcançar estudantes de outros cursos”. Os estudantes de Relações Internacionais estão também, cada vez mais, a aderir a este evento, “mostrando o reconhecimento da importância deste tipo de iniciativas para um percurso académico mais completo”.