A cidade de Braga e o Espaço Vita receberam, no passado domingo, o Bailado da Coppélia, que surgiu com o objetivo solidário de ajudar pessoas com doenças mentais e isoladas. A encenação e performance ficaram a cargo da Escola de Dança do Famalicence Atlético Clube (FAC) e arrancaram muitas palmas do público.

Sara Gonçalves / ComUM

Sara Gonçalves / ComUM

Nessa tarde, o Espaço Vita não ouviu uma única palavra em palco: a atuação estava reservada apenas aos movimentos. O bailado, dividido em três atos e acompanhado de música clássica, foi protagonizado por jovens bailarinos que não se coibiram de mostrar a sua solidariedade quando o assunto é ajudar. Isto porque o lucro total arrecadado nessa tarde reverteu inteiramente para a Fundação S. João de Deus.

Convidada por esta fundação, a Escola de Dança do FAC aceitou o desafio de atuar com o objetivo de ajudar e cooperar com o “Escutatório”. O objetivo do novo projeto passa por, através de voluntários formados, ajudar pessoas que sofrem de doenças mentais e pessoas isoladas.

Sara Gonçalves / ComUM

Sara Gonçalves / ComUM

Ana Reis, gestora da delegação de Braga da Fundação S. João de Deus, fez questão de agradecer aos espectadores a presença no espetáculo, referindo o quão importante é “ter a sala cheia com pessoas tão novas a ouvir falar de saúde mental”. Já o presidente da mesma instituição, Rui Amaral, frisa que “quem tem uma doença mental também tem capacidades, mas tendemos a olhar para as incapacidades como um todo”.

A tarde terminou com muitos aplausos aos jovens artistas, juntamente com um desafio lançado novamente por Ana Reis, um gesto simples a fim de promover a luta contra a doença mental: “olhem para a pessoa ao vosso lado e sorriam”.