O ComUM é um projeto académico, de cariz jornalístico, que parte da Universidade do Minho e se desenrola à margem da atividade letiva, por iniciativa do GACCUM – Grupo dos Alunos de Ciências da Comunicação da Universidade do Minho, anteriormente designado GACSUM – Grupo dos Alunos de Comunicação Social da Universidade do Minho (fundado em 19 de abril de 1994 e com estatutos publicados na Série 3 do Diário da República em 24 de janeiro de 1997).

O ComUM define-se como uma publicação informativa online, de natureza generalista – sediada no endereço www.comumonline.com – e direcionada à comunidade luso-falante presente na internet. Aspira a ser um meio de entrada, de contacto e de participação no espaço público, com especial interesse nas comunidades mais próximas e naquelas em que o ComUM se considera inserido.

O ComUM funciona na perspetiva de uma oficina de jornalismo, de caráter permanente e livre de orientação docente, dirigindo-se a todos os estudantes de Ciências da Comunicação que procurem um espaço de prática da atividade jornalística.

O ComUM existe para ser um estímulo à aprendizagem através do exercício constante das competências adquiridas no âmbito da formação académica e assume como objetivo a publicação de peças jornalísticas trabalhadas pelos seus colaboradores.

O ComUM não confunde a sua natureza não profissional com falta de profissionalismo. Por essa razão, estabelece as suas opções editoriais com independência ideológica, política e económica e promove valores como a criatividade, o empenho e o bom senso, no respeito pelos interesses e motivações de um público plural.

O ComUM aposta numa informação diversificada e de qualidade, caraterísticas que considera essenciais para a promoção de uma opinião pública bem formada e informada, aberta, interessada e participativa.

O ComUM adota os preceitos éticos e deontológicos observados no campo jornalístico, pautando a sua conduta pelo interesse público, pelo direito à informação, de informar e ser informado, pelo direito à liberdade de expressão e de opinião, pelo direito à reserva da vida privada e pelo cumprimento dos deveres da responsabilidade social.