A Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM) volta a exigir reforço de segurança no campus de Azurém, na sequência de um assalto, que causou dois feridos, alunos de Engenharia Electrónica, na madrugada de quinta-feira.

Os estudantes receberam tratamento hospitalar, mas tiveram alta logo de seguida. De acordo com o presidente da AAUM, Carlos Videira, o desacato foi causado por “um grupo de pessoas estranhas”.

Em comunicado, a AAUM lamentou o incidente e voltou a apelar à “necessidade de uma rápida intervenção de fundo no local, que dote o mesmo de melhores acessibilidades e maior iluminação de forma a prevenir incidentes que coloquem em risco a segurança de todos os estudantes”.

A direção da Associação Académica, em articulação com a Reitoria da Universidade do Minho e com a Câmara Municipal de Guimarães, prevê um reforço de vigilância no local, com a intervenção da empresa que garante a segurança no campus e da Polícia Municipal.

Recorde-se que está já não é a primeira vez que a zona subjacente ao campus de Azurém é palco de incidentes violentos. Por várias vezes, foram registados assaltos e agressões.