Homem do Jogo

Matheus

O guarda-redes brasileiro foi o herói, depois de uma exibição de luxo. Esteve sempre muito atento e demostrou grandes reflexos, em diversas ocasiões, com defesas de elevado calibre. No último minuto, após um canto, defendeu dois remates que levavam selo de golo, livrando a equipa de sofrer um empate dramático.

 

Em cima

Éder

Éder até ao aquecimento estava fora do onze inicial. No entanto, Zé Luís, que era dado como titular, lesionou-se enquanto aquecia. O internacional português, escolhido para o substituir, aqueceu rapidamente e agarrou a oportunidade como ninguém. Éder, que ultimamente tem perdido o lugar em detrimento de Zé Luís, deixou sinais muito positivos e acrescentou, à boa exibição, uma finalização de grande nível no primeiro golo, dando o melhor seguimento a um contra-ataque rápido dos minhotos.

Reação do Braga

A recuperação fez-se de garra e de persistência. Apesar de ter sofrido cedo, a equipa comandado por Sérgio Conceição nunca desistiu e esteve, em muitos momentos do jogo, por cima. Conseguiu controlar o Benfica e foi tendo várias oportunidades de golo. No final, consumou a reviravolta no marcador, saindo, desta forma, com os três pontos.

Talisca

O jogador do Benfica continua a demonstrar que merece receber os elogios de Jorge Jesus. Foi irreverente, destemido e também o homem mais ativo no ataque do Benfica. Talisca tem selo de golo e é já, a par de Jackson Martinez e Maazou, o melhor marcador da Primeira Liga, com sete golos.

Salvador Agra

Saiu do banco para dar a alegria aos adeptos. Foi o homem da reviravolta, com um remate à entrada da área, quando o jogo parecia pouco definido. A equipa, com o golo, ganhou ânimo e cresceu na partida. O Benfica, por outro lado, partiu em busca do empate, mas perdeu segurança. Os minhotos, com os dentes cerrados, acabaram por se manter mais fortes.

 

Em baixo

Jorge Jesus

O meio-campo do Benfica simplesmente não funcionou. Esteve sempre desligado e desequilibrado – muito também pela exibição desinspirada de Enzo Pérez . Jorge Jesus, na segunda parte, ainda piorou as coisas, tirando Samaris e colocando Jonas. Pretendeu ganhar poder de ataque, mas acabou por partir a equipa e o jogo descambou por completo. De seguida, as oportunidades começaram a surgir para o SC Braga, que aproveitou, poucos minutos depois, para fazer o segundo golo, dando a volta ao marcador.

Enzo Pérez

Não soube pautar a equipa quando esta mais precisava dele. Fez um jogo muito discreto, pareceu sem confiança e não teve a capacidade de ligar a defesa com o ataque.  Depois de uma entrada muito forte do Benfica no jogo, a equipa foi-se abaixo. E jamais agarrou a partida, muito por causa de Enzo – elemento crucial na estratégia do Benfica – que esteve muito desligado na Pedreira.

A crónica do jogo: SC Braga vence duelo ao Benfica