“Noise” e “Hertz” é o nome do casaco e do vestido interativo, respetivamente, criados pelos alunos de Mestrado em Design e Marketing. As peças de vestuário que reagem com luz, à medida que interagem com o som, basearam-se na premissa de que é mais difícil ignorar aquilo que se vê, do que aquilo que se ouve. O vestido já foi utilizado numa performance artística e o impermeável testado em vários locais de Guimarães, sensibilizando os cidadãos para o impacto do ruído na sua qualidade de vida.

O desafio foi lançado aos alunos com o intuito de serem criadas peças de vestuário interativas, integrando o design, a eletrónica e o têxtil. O investigador do centro de Ciência e tecnologia têxtil, Hélder Carvalho, realça o aperfeiçoamento das técnicas de integração de componentes eletrónicos em roupa e ainda o que pode daqui derivar. ”Caso haja interesse, estas técnicas podem ser utilizadas como aplicação de segurança em vestuário de motociclistas”, acrescenta.

As peças contam com um módulo de deteção de ruído, um microprocessador e fitas de LEDs, programando-o para reagir às alterações sonoras com cores definidas.O casaco ‘Noise’ foi testado nas ruas agitadas e em praças mais calmas, passando até por um bar de música rock. Este ilumina-se de branco quando está em espaços silenciosos, de azul ou verde perante ruídos moderados ou de transição, ficando ainda vermelho e a piscar intensamente face a sons elevados.

Numa perspetiva mais artística e com o objetivo de observar a relação entre o corpo, o ruído, a tecnologia e a moda foi desenvolvido o vestido ‘Hertz’, como forma de interpretar os movimentos da bailarina, através da intensidade do som. O vestido propõe “um manifesto de visualidade artística, encenando o mapeamento das zonas de vibração do corpo em detrimento da frequência acústica sonora”, explica Hélder Carvalho. A engenharia do têxtil interativo estruturou-se numa peça para teatro que se reveste com recursos tecnológicos.

A idealização dos projetos, que ganhou cor em dois semestres, esteve a cargo dos estudantes André Paiva e Meire Santos, sob coordenação da designer Isabel Cabral e dos professores Hélder Carvalho e André Catarino.