Bruno Simões, director do ComUM no ano 2008/09, arrecadou a primeira menção honrosa nos prémios de jornalismo da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP). A distinção deve-se ao trabalho “É um festival de estrangeiros e de dinheiro que invade Paredes de Coura”, uma reportagem sobre o impacto económico do festival de música na pequena vila minhota.

Em declarações ao ComUM, Bruno Simões, agora jornalista no jornal Negócios na redação de Lisboa, disse que “de certa forma, não estava à espera do prémio”, mas imaginava que pudesse ganhar. “Submeti o meu trabalho em vários concursos, e portanto pensei que pudesse ganhar algum”, disse Simões. O primeiro prémio deste concurso da ANMP acabou por ir para João Pedro Pincha, graças a um trabalho no jornal Observador com o nome “Os lisboetas sonham, a Câmara quer. E a obra, nasce?”.

Simões deixou o curso de Ciências da Comunicação na Universidade do Minho em 2009, e desde então que está no Negócios. Sobre a sua estadia no curso, destaca a grande preparação que lhe deu o jornal ComUM.

“O ComUM ajudou-me muito a adaptar-me ao jornalismo, porque foi o primeiro sítio onde aprendemos como funciona uma redação, percebemos agendamentos, desenvolvemos temáticas, aprendemos a entrar em contacto com as fontes, e também falamos com os colegas para procurar emendar os erros. Basicamente, foi onde aprendi como funciona o jornalismo na realidade”.

Em setembro do ano passado, Bruno Simões publicou o trabalho “É um festival de estrangeiros e de dinheiro que invade Paredes de Coura”. Nele, aborda o impacto que o festival tem na pequena vila de Paredes de Coura, com pouco mais de nove mil habitantes, e também os negócios que vivem graças ao festival de verão. Durante cinco dias do mês de Agosto, são muitas as famílias que têm negócios como o aluguer de estacionamento, o aluguer de alojamento, e pequenos restaurantes, sendo que muitos destes negócios já poderiam estar fechados se não fosse pelos festivaleiros, portugueses e estrangeiros.

Este artigo poderia ser facilmente sobre a música em Paredes de Coura, mas Bruno Simões decidiu abordar o festival de uma forma diferente. “É difícil chegar a um festival e escrever algo de novo,” disse Simões, acrescentando que não estava habituado a escrever sobre música. Portanto, segundo o próprio, decidiu “abordar o festival de um ângulo diferente, e ver o impacto económico nas pessoas e na região, e fazer assim um retrato da vila, que não se conhece nos outros meses do ano”.

Além da reportagem do antigo aluno da UM, e do primeiro prémio, foi também atribuída uma segunda menção honrosa a Alexandra Figueira, do Jornal de Notícias, graças à reportagem “Água ficará mais cara para as famílias de todo o país”. O trabalho “A escola do rock” de Rui Tukayana, e sonoplastia de Joaquim Dias, da TSF, venceu o primeiro prémio em rádio.