O Vitória SC obteve uma conquista categórica em casa do Estoril-Praia por 2-0, em jogo relativo à oitava jornada da I Liga de futebol, ascendendo ao quinto lugar da prova. Os “conquistadores” prolongaram a boa fase que atravessam e já apanharam o eterno rival Sporting de Braga na tabela classificativa, ainda que à condição.

A equipa da cidade berço esteve perto do golo logo aos três minutos de jogo por intermédio de Moussa Marega mas a bola esbarrou no ferro da baliza defendida por Moreira. Sucederam-se inúmeras oportunidades para a turma de Pedro Martins, que acabou por conseguir materializá-las à passagem do minuto 12 por intermédio de Tiquinho Soares, após uma brilhante incursão de Bruno Gaspar na ala direita. A linha subida dos vimaranenses condicionou toda a estratégia delineada por Fabiano Soares, algo comprovado pela ausência total de remates dos canarinhos até aos 24 minutos da partida.

Ao intervalo, o placard marcava 0-1, um resultado que se ajustava às incidências do desafio e que obrigava o treinador do Estoril a mudanças. Kléber foi o escolhido, em detrimento de P. Henrique, tendo conseguido dar um novo fulgor ao ataque da equipa da casa. Contudo, a mudança não teve efeitos práticos, uma vez que o Vitória conseguiu continuar a jogar a seu bel-prazer.

Os vimaranenses ainda colocaram a bola dentro da baliza de Moreira em duas ocasiões até chegarem ao 0-2. Porém, a equipa de arbitragem anulou os dois golos, primeiro de Pedro Henrique e depois de Bruno GasparA 20 minutos do final, os dois treinadores foram ao baralho à procura de um trunfo.De um lado, para tentar a reviravolta, do outro para consolidar o resultado. Pedro Martins foi mais feliz visto que a sua escolha teve influência direta no resultado.

João Aurélio, o principezinho alentejano, voltou a entrar muitíssimo bem – tal como havia conseguido na passada jornada frente ao Sporting – driblou um adversário, cruzou com conta, peso e medida para que Raphinha matasse o jogo com um remate de primeira. Bruno Gomes ainda tentou chegar ao golo de honra para os “canarinhos”, mas teve pela frente uma enorme mancha de Douglas, que até então tinha sido um mero espectador.

Triunfo incontestável da equipa da cidade do berço, numa exibição com personalidade e determinação de uma equipa que segue no bom caminho rumo ao regresso à Europa.