Pela primeira vez, um documentário de uma antiga aluna da Universidade do Minho concorre e será exibido nos Prémios Sophia Estudante, no Centro Cultural de Belém, no dia 7 de dezembro. Inês Carrola é a autora de “Nha Storia”, um dos 28 documentários selecionados.

“Nha Storia” é o projeto final da licenciatura de Inês Carrola em Ciências da Comunicação. Este retrata a vida de uma família cabo-verdiana, que nos induz a uma reflexão aprofundada a cerca das desigualdades sociais e das diferentes maneiras de pensar sobre determinados assuntos.

“Toda a história do Decó e da Dona Júlia me fez lembrar de muitas pessoas que conheci em Cabo Verde, que me abriram as portas de casa e me mostraram um povo extremamente humilde, extremamente feliz, extremamente grato pelo pouco que tem”, disse a autora do documentário.

A ideia de expor esta realidade surgiu quando pela “primeira vez fui a Cabo Verde, num projeto de voluntariado”, que declara ter sido “das melhores experiências” da sua vida. Foi, ainda, durante essa altura que conheceu a família retratada e uma vez que criou uma enorme ligação a essa mesma -pois “sempre que ia a casa deles era recebida com muito amor por todos e isso tocou-me imenso ” – estes tinham que ser os seus protagonistas.

Quanto à nomeação, Inês Carrola “não esperava de todo”, pois esta revelou ter tido, ao longo das gravações, diversas complicações, o que fez com que nem sequer acreditasse que pudesse ser uma das escolhidas.

Esta é a 3ª edição dos Prémio Sophia Estudante, evento organizado pela Academia Portuguesa de Cinema, com o objetivo primordial de motivar os futuros cineastas e institutos de ensino.