A formação do Vitória SC recebeu e venceu o Vilafranquense por 1-0, em jogo a contar para os oitavos de final da Taça de Portugal. Numa partida sem grande história, a equipa visitada fez valer o seu maior poderio, seguindo assim na prova rainha do futebol português.

O técnico Pedro Martins aproveitou para fazer algumas alterações, dando minutos a jogadores que não têm tido tanta competição. Apesar de controlar quase completamente o desenrolar dos acontecimentos, o facto de o Vitória ter circulado quase sempre a bola de forma lenta justificou a inexistência de oportunidades efetivas de golo na primeira parte. A situação mais perigosa para a equipa da casa acabou por ser um corte do defesa do Vilafranquense, que ainda roçou a barra.O duplo pivot de meio campo com Tozé e Mbemba não funcionou da melhor forma, na medida em que os dois jogadores jogaram muitas vezes na mesma linha, oferecendo pouca soluções na zona ofensiva do meio campo. O nulo manteve-se até ao intervalo.

Na segunda metade do encontro, a formação da cidade de Guimarães aumentou a intensidade, conseguindo chegar com mais perigo à baliza adversária. Aos 61 minutos, Hurtado recebeu a bola à entrada da área e, perante a saída do guarda-redes, colocou a bola no fundo das redes.
Até ao fim do jogo foram poucas as situações de golo, prevalecendo o 1-0 até ao fim do encontro. Destaque final para as exibições de Hurtado e de Tozé. O primeiro devido aos desequilíbrios que criou (e também pelo golo) e o segundo por ter coordenado o processo de circulção de bola da sua equipa. Apesar do entendimento com Mbemba não ter sido perfeito, o jogador formado no Porto assumiu a batuta do jogo ofensivo vitoriano, fazendo um conjunto de bons passes.

O próximo jogo do Vitória é frente ao Vitória de Setúbal, em mais um partida da Liga NOS.