Homem do jogo

Bruno Fernandes

Depois da boa entrada na segunda parte frente ao Steaua Bucareste, o internacional sub-21 português mereceu, desta vez, a confiança de Jorge Jesus para o onze inicial. Jogando como médio ofensivo, entre o duplo pivô e o ponta de lança, Bruno Fernandes conseguiu quase sempre arranjar espaço para explanar o seu futebol.

Logo no início da partida fez um belo golo fora de área. Também de uma distância considerável para a baliza contrária, apontou o segundo tento da conta pessoal na etapa complementar, já depois de o ter tentado duas vezes. Ainda antes do final do jogo, o médio mandou uma bola à barra. Paulatinamente, o ex-Sampdoria começa a ganhar o seu espaço nas escolhas iniciais do técnico do Sporting CP.

Em cima

Bas Dost

O melhor marcador da Liga NOS da temporada passada continua de pé quente na nova época. Depois de ter apontado o golo da vitória frente ao Vitória FC, o internacional holandês foi mais uma vez decisivo. Sempre à procura do melhor posicionamento dentro da grande área, Bas Dost marcou pela primeira vez na partida de cabeça. Pouco tempo depois, na sequência de um ataque rápido, finalizou com o pé direito ao segundo poste.

Coletivo do Sporting CP

Após duas exibições menos conseguidas frente a Vitória FC e Steaua Bucareste, o clube de Alvalade arrancou uma prestação bastante interessante neste desafio. A equipa forasteira fez uma partida a roçar a perfeição, em que todos os setores e os respetivos jogadores estiveram a um nível alto. Para além das várias oportunidades criadas no ataque, a defesa, com a ajuda do resto da equipa, permitiu poucas situações de perigo junto da baliza de Rui Patrício. Face a esta situação, o Sporting CP concluiu mais uma partida sem sofrer golos, registo que se mantém desde o início da temporada.

Em baixo

Ponta de lança… mais uma vez

Neste início de temporada, Pedro Martins já utilizou três atletas na posição de ponta da lança. Tal como no encontro contra o Estoril, a escolha recaiu em David Texeira. Sendo verdade que não foi bem apoiado neste encontro, procurou poucas vezes a bola, e sempre que a teve em seu poder, nunca conseguiu dar o melhor seguimento aos lances de ataque. O avançado uruguaio, tal como Óscar Estupiñan e Rafael Martins, ainda não marcaram esta época.

Processo defensivo do Vitória SC

A formação vimaranense voltou a mostrar muitas fragilidades defensivas, num desafio em que não contou com os castigados Josué e João Vigário. Apesar do mérito que o Sporting CP teve na obtenção dos golos, os atletas da equipa da casa mostraram-se pouco agressivos e pressionantes. A distância entre setores e, fruto disso, o espaço concedido sobretudo ao meio-campo leonino foram uma constante ao longo do jogo. Ao fim de quatro partidas oficiais realizadas, o balanço é de 13 golos sofridos.