VC Viana lutou até ao fim e garantiu a manutenção no primeiro escalão. O jovem oposto Calaça destacou-se pela positiva.

Depois de uma primeira temporada no Campeonato Nacional da 1ª Divisão de Voleibol tranquila, o VC Viana procurava repetir a receita em 2017/2018. Embora tenha feito um percurso mais acidentado do que na época transata, a verdade é que o objetivo do conjunto minhoto foi alcançado.

A temporada do emblema vianense começou com muitas alterações. Depois da saída do jovem Diogo Pereira para o Sporting, o VC Viana assegurou a contratação de alguns jovens jogadores de qualidade, entre eles Calaça, Rafael Cavalcanti e Wilham Wanderson.

Apesar das inúmeras alterações em termos de plantel, a verdade é que as expectativas do VC Viana em fazer uma campanha sem grandes percalços ficaram caducadas desde uma fase inicial da época. Uma vitória e 13 derrotas nas 14 primeiras jornadas do campeonato acabaram por relegar os comandados de Ricardo Lima para os últimos lugares da tabela classificativa.

A mudança de ano fez bem à formação minhota, tendo o VC Viana vencido quatro dos seis jogos que disputou no mês de janeiro. Até ao fim da fase regular do campeonato, os vianenses não venceram qualquer jogo, tendo terminado a competição no 12º lugar, em igualdade pontual com o Esmoriz e com o Vitória SC.

Perante a classificação final, o VC Viana foi obrigado a disputar o playout, de forma a assegurar a manutenção. Os três triunfos nas três primeiras partidas desta fase faziam antever uma campanha tranquila, mas a verdade é que a equipa de Viana do Castelo perdeu os restantes jogos e foi obrigada a disputar o play-off de manutenção frente ao CA Madalena.

Nas partidas frente à formação de Gaia, o VC Viana fez valer a experiência do Campeonato Nacional da 1ª Divisão e venceu a série por 2-1, mantendo-se assim no escalão máximo do voleibol português.

Como breves notas conclusivas, destaque para a eliminação da equipa da Taça de Portugal na primeira fase que disputou (derrota por 0-3 frente ao Castêlo da Maia) e para a boa temporada realizada por Calaça. O oposto da formação vianense esteve em destaque e, perante o facto de apenas contar 21 anos, pode almejar a voos mais altos.