Ao longo dos últimos dias várias pessoas têm sido colocadas em quarentena para prevenir a propagação da doença COVID-19.

Vários cidadãos de Felgueiras e Lousada, as duas localidades mais afetadas no país pelo Coronavírus, têm furado o período de quarentena. Quem não cumprir o pedido da Direção-Geral da Saúde (DGS) para evitar a propagação do vírus SARS-COV-2 pode ter sanções até cinco anos de prisão. A informação foi avançada esta quarta-feira pelo Jornal de Notícias.

Eurico Reis, juiz desembargador, “o Código Penal estabelece uma punição para a difusão voluntária de doenças”.  Depois de existir um aviso para estas pessoas permanecerem sob quarentena “é normal que essas pessoas possam vir a ser sancionadas”, disse ao JN. Para além disso, aponta que “há uma obrigação moral destas pessoas ficarem em casa”.

O magistrado defende que alguma “flexibilidade das medidas administrativas” de modo a que “não se imponha a lei de forma desproporcionada contra a realidade”.

Para além disso, a DGS apela a que as pessoas tenham cuidado e adotem medidas preventivas, entre as quais: não espirrar/tossir para as mãos, mas sim para o braço com o cotovelo flectido, lavar as mãos várias vezes ao dia, utilizar lenços descartáveis e deitar de imediato ao lixo. Apela-se, também, que toda a população evite lugares com muitas pessoas.