18 saídas e 13 entradas fazem o balanço do mercado.

“Consolidar o Gil na I Liga Portuguesa”. Foi assim que o novo treinador do Gil Vicente, Rui Almeida, definiu os objetivos para a próxima época. Depois de uma prestação tranquila na temporada transata, que resultou na 10.ª posição na I Liga, com 43 pontos, dez acima da zona de despromoção, os “galos” vão procurar dar continuidade ao trabalho realizado por Vítor Oliveira.

Rui Almeida, estreante na primeira liga portuguesa enquanto técnico principal, admitiu estar orgulhoso por voltar ao futebol português e mostrou-se motivado com o projeto do Gil Vicente. Em declarações à comunicação social, o técnico prometeu ainda uma “equipa humilde, mas muito competitiva e ambiciosa”.

O plantel minhoto conta, para já, com 26 jogadores, dos quais 13 são novos reforços. Para a baliza, os gilistas investiram na contratação de Daniel Fuzato, que chega por empréstimo da AS Roma. Para a linha defensiva, chegaram Talocha (ex-Riga FC), Tim Hall (ex-Karpaty), Souleymane Aw (ex-Avenir Béziers), Mantuan (ex-Corinthians) e Joel Pereira (cedido pelos cipriotas do Omonia).

No meio-campo, Kanya Fujimoto (emprestado pelo Tokyo Verdy), Antoine Léautey (ex-Chamois Niortais) e Leandrinho (ex-Botafogo) são os novos nomes ao serviço do emblema da cidade de Barcelos. Ainda na zona central, os gilistas asseguraram novamente Vítor Carvalho, por empréstimo do Coritiba. Boubacar Hanne (ex-Wolverhampton) e Miullen (ex-Londrina) reforçam o ataque.

Gil Vicente

* O plantel gilista para a época 2020/21, ainda sujeito a alterações devido ao mercado de verão continuar aberto. Das saídas não constam os jogadores que terminaram os contratos de empréstimo.

No sentido inverso, o Gil Vicente perdeu o defesa Edwin Banguera, os médios Léo Cordeiro, Rúben Ribeiro e Abdoulaye Kanté. Por fim, os guarda-redes Bruno Diniz e Wellington Luís, os defesas Alex Pinto, Arthur Henrique e Fernando Fonseca, os médios Bozhidar Kraev, Kevin Lopez e Soares e os atacantes Yves Baraye, Zakaria Naidji e Sandro Lima, o melhor marcador dos barcelenses em 2019/20, terminaram o vínculo de empréstimo que os unia aos galos e disseram adeus à cidade de Barcelos.

A estreia na I Liga está marcada para o dia 20 de setembro, frente ao Sporting CP. As expectativas no campeonato estão assim bem traçadas pelo clube minhoto, que pretende fortificar a presença no campeonato nacional. Os comandados de Rui Almeida ambicionam ainda entusiasmar os adeptos “pelo conteúdo deixado em campo”.