As históricas celebrações de Guimarães em honra de São Gualter, realizadas anualmente desde 1906, continuaram a marcar o verão dos vimaranenses e visitantes este ano.

Numa dimensão mais simbólica, a edição de 2020 das centenárias Festas teve lugar na cidade Berço entre os dias 31 de julho e 3 de agosto. O programa foi alterado, no entanto, devido à pandemia do coronavírus.

Pelo contexto pandémico que atravessamos, a Câmara Municipal de Guimarães não poupou a esforços para evitar a suspensão das festividades, garantindo uma programação totalmente gratuita e sustentada na diversidade artística e na fruição ao ar livre.

Na impossibilidade de se realizarem os habituais concertos e a tradicional Marcha Gualteriana, o programa das Festas contou, sobretudo, com exposições e mostras. A Exposição da Casa da Marcha, no Jardim da Alameda de São Dâmaso, exibiu algumas das peças trabalhadas pelos obreiros nos últimos anos, enquanto que “A Muralha” deu a conhecer no Largo do Toural fotografias dos cartazes que marcam a história das celebrações gualterianas.

Com destaque no evento, o número alegórico “Carro Guimarães Fado e Centenário de Amália” percorreu diariamente as ruas da cidade, celebrando a canção nacional e o centenário do nascimento de Amália Rodrigues.

A juntar a estas iniciativas, o pelouro da Cultura do município de Guimarães e a cooperativa cultural “A Oficina” promoveram a convocatória “Projeta! Cria! Participa!” para artistas vimaranenses. Desta forma, foram selecionadas mostras de filmes e fotografias, oficinas comunitárias de pintura de azulejos e de produção de máscaras comunitárias temáticas, bem como uma exposição de arte plástica, atividades que enriqueceram o programa festivo quanto aos artistas e aos diferentes gostos do público.

Houve ainda ocasião para um concerto protagonizado pelos “TetrAcord’Ensemble”, com a organização da Venerável Ordem Terceira de São Francisco, que teve lugar no Largo de São Francisco no primeiro dia de agosto.

A edição de 2020 deixou, assim, um marco atípico na história das Festas Gualterianas, valorizando a memória das celebrações.