Durante este mês, mensalidade foi gratuita para novos e atuais utentes, de modo a fidelizar os utilizadores.

Os complexos desportivos dos Serviços de Ação Social da Universidade do Minho (SASUM) reabriram as portas em agosto. Os números surpreenderam pela positiva.

Carlos Videira, responsável do departamento de desporto e cultura dos SASUM, adiantou à RUM como está a decorrer a retoma. “O mês de agosto ajudou a “minorar os estragos que a pandemia causou”, afirmou.

Em média, pelos estabelecimentos de Braga passaram 75 pessoas e 32 por Guimarães. Registaram-se 270 renovações e 30 novas inscrições. Assim, com tais resultados, os SASUM podem optar por abrir os seus complexos durante os doze meses do ano.

“Este é um ano muito difícil para os serviços desportivos, na medida em que perdemos receitas ao nível de alugueres dos espaços e também nas inscrições. Acreditamos que nos últimos dois meses temos vindo a inverter a curva descendente. Agora, os próximos meses serão importantes para perceber com que rapidez vamos voltar a um nível mais aproximado do ano passado”, explicou à RUM.

A partir de 1 de setembro, os complexos desportivos da UMinho vão passar a funcionar de maneira integral. Todas as modalidades individuais e coletivas vão regressar. Neste momento, estão a ser analisadas as condições para o regresso das competições dos escalões seniores na academia minhota, mas sem a presença de público.

Em relação ao centro de condição física de Santa Tecla, o responsável anunciou a reabertura em outubro, mas anuncia que o local vai ser transformado “num espaço dedicado ao treino funcional”. Desta forma, vai ser “mais popular e que não exige a utilização de equipamentos, o que acaba por facilitar o trabalho de limpeza e aumentar a segurança dos utentes”, explicou