Face ao aumento de casos de Covid-19, o presidente da Câmara de Guimarães pede ao Governo o avanço da obrigatoriedade legal da utilização de máscaras.

Segundo o Jornal de Notícias, o presidente da Câmara de Guimarães, Domingos Bragança, recomenda o uso de máscara na via pública para evitar a propagação do vírus. Além disso, pede que o Governo torne a medida obrigatória.

“Aconselhamos e recomendamos que se use máscara no espaço público e pedimos até às autoridades do Governo que transformem esta recomendação, que é pedagógica, em obrigatoriedade legal”, afirmou. O autarca admitiu ainda que a “transmissão comunitária” já não permite identificar a origem de todas as cadeias de contágio.

A medida foi ponderada pela Direção-Geral da Saúde como uma das possíveis medidas para o estado de contingência com início a 15 de setembro. Contudo, a medida não passou. Desta forma, o uso de máscara não será obrigatório na via pública, excluindo na utilização de transportes públicos, serviços públicos, no comércio e na restauração.

Relembre-se que Guimarães, após Lisboa e Sintra, é o concelho com mais casos de Covid-19 na semana de 31 de agosto a 6 de setembro. Neste período teve 108 novos casos, nove bombeiros voluntários, três funcionários numa empresa municipal, duas funcionárias da escola EB 2,3 João de Meira e ainda uma criança na escola básica de Conde, existindo ainda “várias fábricas com casos isolados”.

Um número que o responsável pelos Centros de Saúde do Alto Ave, Novais de Carvalho, acredita que possa ainda aumentar, apontando como principais origens de contágio as “reuniões de familiares e amigos, com casamentos e batizados, mas também  do movimento das férias e dos emigrantes que vieram visitar as famílias”.