A 20 de setembro comemora-se o Dia do Desporto Universitário. O ComUM esteve à conversa com cinco atletas de algumas das modalidades com mais destaque na Associação Académica da Universidade do Minho, com vista a perceber quais as motivações e opiniões sobre o desporto universitário.

A academia minhota vê a atividade física como algo indispensável à formação dos estudantes do Ensino Superior. Nas instalações desportivas são praticadas diariamente mais de 70 modalidades e são realizados inúmeros eventos de carácter competitivo, recreativo e cultural. A UMinho é reconhecida, no mundo do desporto universitário, a nível nacional e internacional, com atletas medalhados em diversas modalidades.

Em conversa com o ComUM, os atletas-estudantes destacaram a vertente humana das competições. Admitem que o convívio e ambiente envolvente da prática e da competição destes desportos lhes proporciona vivências pessoais inesquecíveis. Carlos Loureiro, atleta de Hóquei em Patins e Floorball, sublinhou que “o principal são as amizades feitas, entre colegas da minha universidade e de outras.”

Já Patrícia Silva, capitã da equipa de andebol, frisou que a UM oferece “todas as condições e permite uma perfeita harmonização entre a vida académica, desportiva e social”. “Nunca me falharam” afirmou Joana Cunha, do Taekwondo, medalha de bronze nos campeonato da Europa, em 2019.

Estes atletas, que representam a academia minhota, usufruem do estatuto de estudante-atleta com o qual têm a possibilidade, entre outras coisas, de alterar o momento das avaliações, através do acesso à época especial de exames. A atleta Eva Monteiro, jogadora de voleibol, defende ainda que “devemos aproveitar todas as experiências que a Universidade nos dá, porque são essas experiências que fazem o percurso valer a pena”.

Por fim, todos os atletas convidaram os estudantes da Universidade do Minho a participarem no desporto académico. “Não se vão arrepender” assegurou João Mikus, representante do futsal.

Reportagem: Andreia Morais e Margarida Alves