No debate da passada terça-feira foram abordados temas diversificados pelas listas que concorrem à presidência do GACCUM.

Esta terça-feira, dia 27 de outubro, deu-se o debate relativo à presidência do Grupo de Alunos de Ciências da Comunicação da Universidade do Minho (GACCUM), transmitido no Facebook do ComUM. Os dois candidatos, José Duque (Lista A) e Diana Gomes (Lista B), debateram várias propostas de campanha, bem como a problemática da votação não presencial.

O debate entre as duas listas candidatas à presidência do GACCUM abordadou vários temas. No entanto, o direito ao voto foi o que suscitou mais dúvidas, não só entre os representantes, mas também nos espectadores. Surgiu uma divergência entre as listas no que toca à melhor solução para todos os estudantes incapazes de votar devido à pandemia de Covid-19 e aos alunos que se encontram em Erasmus. A lista A defendeu o voto tradicional, na instituição e em papel, o que implica a questão do presencial, enquanto a lista B propôs o voto presencial não obrigatório, através do email para os alunos incapacitados de votar.

Quanto a propostas, as duas listas visam arquitetar a elaboração de workshops e feiras temáticas, assim como conservar as jornadas da comunicação. Estas ocorreriam de forma presencial, todavia, no caso das condições atuais não o permitirem, vão ser executadas via online.

O voto não exclusivo aos sócios do GACCUM é outra medida que ambos querem empreender. No entanto, demonstram também querer criar vantagens exclusivas para conservar e estimular as assinaturas associadas. “Não pretendemos desencorajar os alunos a serem sócios”, referiu Diana Gomes. A lista A sugere gerar conteúdo exclusivo e custos especiais em certas atividades. Por outro lado, a Lista B planeia dar vantagens promocionais no comércio local.

Uma promessa que ambos fizeram foi a de pressionar a reitoria para haver uma melhor gestão e a criação de mais recursos. No entanto, reconhecem que é uma questão complexa.

José Duque fez referência a projetos e medidas que quer implementar no GACCUM, onde inseriu um podcast, as fusões entre núcleos académicos e as atividades em várias áreas, desde a culinária à escrita criativa. Por sua vez, a lista B pretende continuar o trabalho de integração que tem vindo a ser desenvolvido durante o atual mandato, assim como incorporar os alunos do mestrado, uma vez que, em “anos anteriores foram postos de lado”, segundo Diana Gomes.

Ambas as listas desejam tecer uma rede complementar de apoio e partilha, na qual os alunos disponibilizam apontamentos e auxílio em salas de estudo virtuais. Assim, revitalizam a ideia de uma associação recetiva e de amparo que estão na base da sua campanha.

 Artigo por: Catarina Roque e Maria Freitas