A Hindu - Technical Textiles está, agora, a desenvolver um tecido específico com o mesmo acabamento químico para os transportes públicos.

Uma empresa de Vila Nova de Famalicão desenvolveu um acabamento para tecidos que inativa 99,9% dos vírus e bactérias, incluindo o SARS-Cov-2. A inovação da Hindu – Technical Textiles já foi distinguida pelo município com o selo Famalicão Visão 25.

Em declarações à RUM, Luís Cristino, CEO da empresa, afirmou que a ideia surgiu no início da pandemia de Covid-19, que originou desafios “nunca antes vistos”. Em abril, a Hindu registou quebras de 50% nas vendas, o que levou a investir no produto inovador, certificado com eficácia até um máximo de 30 lavagens.

O acabamento pode ser aplicado em todos os tecidos, sendo que a empresa tem apostado, sobretudo, em máscaras, luvas, batas e peças de vestuário. O responsável garante que o tratamento químico não provoca alergias e minimiza o período de atividade das bactérias e vírus para até 48 horas.

O produto foi desenvolvido em colaboração com parceiros internacionais, líderes em inovação tecnológica na área têxtil. Luís Cristino explica que, numa primeira fase, o tecido em questão é submetido a um “banho específico” num produto químico baseado em “iões de prata e lipossomas de gordura”. São estes componentes que conseguem inativar os vírus e bactérias presentes no material que é sujeito ao acabamento.

Contudo, alerta que o processo não pode ser realizado em casa. Para usufruir de peças “auto-higienizantes”, é necessário recorrer aos serviços da Hindu ou adquirir peças comercializadas pela empresa.

O responsável adianta ainda que o próximo passo será dado no setor dos transportes públicos. Neste momento, a empresa já está a desenvolver um tecido específico para os autocarros que, posteriormente, vai ser apresentado a empresas da região.