O organismo está disponível para ajustar medidas em função da evolução da pandemia.

O Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP) defendeu a permanência de aulas e avaliações em formato presencial. O CRUP demostrou flexibilidade para um ajustamento das medidas, dependendo da evolução da situação pandémica.

“As universidades que integram o CRUP consideram que o risco de contágio covid-19 nas respetivas comunidades académicas se pode considerar controlado”, afirmou o CRUP, em comunicado. O CRUP admite que este controlo se deve “às medidas de contenção que tomaram ao longo de 2020 e à forma como conseguiram compatibilizar o funcionamento presencial e segurança”.

De acordo com o CRUP, as instituições de ensino superior apresentam níveis distintos de risco e preparação. O “nível de risco e grau de preparação” tem “provado ser fundamentadamente distinto”. Deste modo, “O CRUP considera que a atividade letiva e avaliativa deva continuar para já presencial”, menciona em comunicado.

Além disto, o Conselho afirmou que as avaliações devem realizar-se presencialmente, principalmente “nesta altura do ano”. Ou seja, em época de exames e avaliações. No entanto, esclarecem que este momento é “uma fase crítica do seu percurso académico, mas em que o risco de contágio não é, de forma alguma, superior”.

O CRUP “manifesta a sua total disponibilidade para ajustar as medidas que preconiza em função do que a situação vier a exigir”. Assim, certifica que vai estar atento à evolução da pandemia.