A obra foi aprovada esta quinta-feira em reunião do executivo municipal e deve arrancar em maio deste ano.

A Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco de Vila Nova de Famalicão vai sofrer obras de ampliação e remodelação, com o objetivo de se adaptar às novas realidades tecnológicas. Está prevista a criação de uma sala para Audiovisuais e uma nova área para o espólio de Eduardo Prado Coelho.

Para além destas mudanças, vai ser ainda valorizada a criação de novos espaços de leitura de audiovisuais, de depósitos de livros, de cafetaria e garagem do biblimóvel, entre outros. As obras de ampliação contam com a construção de um prolongamento do edifício em pleno Parque de Sançães, em direção à Casa das Artes.

Segundo o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, este é um investimento “de grande relevo para o concelho, que trará melhores condições de comodidade ao espaço. Mas, também novas tecnologias para os seus utilizadores”. Apesar disto, a necessidade mais urgente está relacionada com as condições atuais do espaço, que apresenta infiltrações e fissuras.

A obra fica a cargo da empresa Costeira – Engenharia e Construção SA por um valor de 1,6 milhões de euros e com um prazo de execução de um ano. A autoria do projeto de execução pertence ao arquiteto responsável pelo projeto do edifício, João Eduardo Marta.