André Lago, atual Engenheiro de Software e Tech Lead da Google, deu o seu testemunho pessoal e algumas orientações aos alunos que tivessem interesse num futuro emprego na respetiva empresa.

“Como conseguires o teu emprego de sonho na Google” foi a palestra dada por André Lago e encerrou a sequência de palestras do quarto dia da Semana de Engenharia Informática da Universidade do Minho. “Ao longo do tempo a vossa independência aumenta”, referiu o engenheiro, apontando essa característica como a maior diferença entre um estagiário e um profissional da empresa. Acrescentou, também, que escrever código era “a nossa função principal” enquanto estagiários.

André Lago descreveu a sua metodologia de trabalho como informal, “não há uma metodologia formal”, disse. Reforçou a ideia afirmando que “as coisas são ágeis”. “Acabamos por nos adaptar aos problemas”.

Search One Boxes, Google Takeout e o Painel de Controlo da Google são, segundo o Tech Lead da empresa, as funções mais comuns dos trabalhadores. Confessou ainda que as reuniões entre profissionais e colegas de projeto são importantes para o conhecimento da equipa e aprofundamento do tema com que se está a lidar.

“A cultura na Google é o fator mais importante para eu trabalhar lá”, admitiu o engenheiro. Segundo André Lago, quando algo corre mal num projeto, o foco da empresa é perceber o que levou o erro a acontecer e não o culpado pelo mesmo. As zonas de lazer existentes nos escritórios da companhia são, de acordo com André Lago, “coisas superficiais, mas qu fazem sentir confortáveis no local de trabalho”.

 

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por SEI (@sei.uminho)

O contacto com novos projetos, conceitos e pessoas experientes na área são enormes benefícios para um indivíduo que esteja a iniciar-se na área profissional. Tudo isto leva o Tech Lead da Google a afirmar que “a principal vantagem é a aprendizagem”. Como desvantagem desta aventura exalta, apenas, e falando do seu caso em particular, a longa distância entre o local de emprego e a sua casa, no Porto. Neste momento está a trabalhar em Munique, Alemanha.

Sobre as fases de candidatura, o engenheiro esclareceu como sendo mais complicada a fase de seleção de currículos, tendo em conta que “veem os currículos durante pouco tempo”. Caso alguém tenha a sorte de passar para a fase das entrevistas é preciso dedicação e preparação com imensa antecedência. “Eu preparei-me com meses de antecedência”, advertiu André.

Na parte final da sessão, incentivou os estudantes a envolverem-se em “alguma coisa fora do plano curricular” e a, pelo menos, tentarem candidatar-se. “De certeza que não tinha acontecido se eu não tivesse tentado”, observou. A palestra da Semana de Engenharia Informática da Universidade do Minho terminou com um esclarecimento de todas as dúvidas que os participantes quisessem ver respondidas.