A decisão foi aprovada esta segunda-feira, dia 22 de fevereiro, no Conselho Geral da UMinho.

O Conselho Geral da Universidade do Minho aprovou esta segunda-feira, 22 de fevereiro, a passagem do Museu Virtual da Lusofonia (MVL) a unidade cultural académica. O museu foi criado em 2017 pelo Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS) da Universidade do Minho.

Em comunicado, o CECS destaca que o objetivo do museu é “articular as possibilidades da tecnologia digital com a preservação, pesquisa e divulgação do património histórico-cultural dos países de língua portuguesa”. Além do mais, “procura contribuir para a ampliação do conhecimento recíproco entre estes países, aproximando os seus povos e promover o diálogo intercultural”, refere o organismo promotor do MVL.

Para além disso, o CECS antecipa com este projeto a promoção da “língua portuguesa como língua de cultura e de ciência”, do “acesso aberto ao conhecimento” e do “desenvolvimento das comunidades do espaço lusófono através da internacionalização do património cultural”. A passagem do MVL a unidade cultural prevê agora “corporizar uma importante aposta da Universidade do Minho na extensão universitária e na transferência de conhecimento”, salienta o centro de estudos.

Relembre-se que, em setembro, celebrou-se o lançamento do Museu Virtual da Lusofonia na plataforma Google Arts & Culture. Na cerimónia, o reitor da Universidade do Minho, Rui Vieira de Castro, sublinhou que estas iniciativas “contribuem decisivamente para a afirmação do português como língua de ciência”.