A associação propõe ainda um conjunto de medidas de apoio ao setor comercial e económico.

A Associação Comercial de Braga (ACB) consente com a posição da CCP (Confederação do Comércio e Serviços de Portugal) de iniciar, a partir de 17 de março, a reabertura dos estabelecimentos e atividades comerciais. Propõe ainda a implementação de várias medidas de apoio ao setor.

A associação considera que perante o atual abrandamento do número de contágios e internamentos, é necessário preparar-se a retoma da atividade comercial. Reconhece que, no geral, as empresas se encontram em condições para assegurar as devidas condições de higiene e saúde pública, apelando assim a um voto de confiança por parte do Governo para a reabertura.

Tendo em consideração o impacto negativo do confinamento no setor, a ACB afirma que é fundamental salvaguardar um conjunto de medidas que compensem a redução da atividade e das vendas. Refere ainda que “a mera existência de um plano de desconfinamento permite às empresas terem uma perspetiva sobre a retoma das suas atividades, nomeadamente no que respeita a custos de estrutura, compromissos financeiros, reposição de stocks, venda de produtos sazonais, compras”.

Como medidas de apoio, a associação sugere a manutenção dos apoios existentes no período pós-confinamento; o reforço e uma maior acessibilidade ao programa “Apoiar” e a criação de mecanismos específicos de apoio ao setor da moda. Defende igualmente a prorrogação das moratórias bancárias até 2022.