A iniciativa, que acontece de 23 de outubro a 31 de dezembro de 2021, visa promover exposições, palestras e oficinas relacionadas com a ilustração.

A Bienal de Ilustração de Guimarães (BIG) foi apresentada on-line, esta segunda-feira, e vai voltar a premiar ilustradores portugueses. As distinções mais importantes a atribuir são o Prémio Carreira BIG, no valor de dez mil euros, e o Grande Prémio BIG, no valor de cinco mil euros. Além destes, vão ser também entregues o Prémio BIG Revelação, no valor de mil euros, e cinco Prémios BIG Aquisição, no valor de 500 euros cada.

Tiago Manuel, diretor artístico da BIG, adiantou que o Prémio Carreira BIG vai ser atribuído a Cristina Ferreira, cenógrafa e figurinista do já encerrado Teatro da Cornucópia. O responsável salientou ainda que o prémio, sugerido pela direção artística e pela Câmara Municipal de Guimarães, “visa premiar pessoas e artistas que tiveram uma obra marcante, mas transversal a vários saberes”.

Os restantes prémios vão ser atribuídos através de um concurso nacional, dirigido a artistas que desenvolvem a sua atividade profissional nas áreas da ilustração de imprensa, de livros e de cartazes culturais. As inscrições estão abertas até 31 de maio e podem ser formalizadas no site da BIG, onde também pode ser consultado o regulamento. As obras vencedoras vão fazer parte deste evento e, posteriormente, do acervo municipal dedicado à ilustração portuguesa.

A programação da 3.ª edição da BIG, que acontece este ano de 23 de outubro a 31 de dezembro, vai-se estender a vários espaços em Guimarães, com intervenção pública na área do Bairro C. O objetivo é promover exposições, workshops de ilustração dedicados às escolas e o ciclo de palestras “A Teia da Ilustração”, com a participação de Sérgio Godinho, Sara Figueiredo Costa e João Ramalho Santos. O Centro para os Assuntos da Arte e Arquitetura (CAAA) recebe ainda uma exposição do ilustrador André Letria, autor do desenho do cartaz desta edição e vencedor do Grande Prémio BIG em 2019.

Este ano, a bienal quer “romper barreiras entre géneros” e, por isso mesmo, vai editar uma versão d’Os Lusíadas totalmente ilustrada por mulheres. Sob a direção literária da professora Rita Marnoto, dez ilustradoras vão fazer a sua própria interpretação dos dez cantos da obra épica, com um olhar mais moderno. As ilustrações originais vão fazer parte de uma exposição com curadoria do artista plástico António Gonçalves.

A vice-presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Adelina Pinto, para além de sublinhar a forte presença feminina desta edição, salienta também a sua componente educativa. A BIG vai “levar a arte às escolas na vertente da ilustração”, num período em que, garante, “Guimarães dá o exemplo de uma perspetiva cultural numa nova normalidade”.

A Bienal de Ilustração de Guimarães é uma iniciativa do Município vimaranense e da Motor – Produção Cultural, sob a direção artística de Tiago Manuel e direção técnica de Rui Bandeira Ramos. O evento tem como propósito dignificar o papel dos ilustradores no desenvolvimento cultural, nos mais variados campos da arte e da comunicação e no domínio das novas tecnologias.