As duas pontes, em Terras de Bouro, estão no processo para se tornarem de interesse nacional.

As duas pontes de Rio Caldo, em Terras de Bouro, estão a ser promovidas a uma candidatura a Património Nacional. O executivo terra-bourense reuniu com outras entidades na passada sexta-feira, 12 de março, para pedir apoio institucional, no sentido de reforçar o processo que vai ser submetido à Direção Regional de Cultura do Norte.

O encontro contou com a presença do presidente do município de Terras de Bouro, Manuel Tibo, e do edil de Vieira do Minho, António Cardoso. Estiveram também presentes na sessão a vereadora da Cultura terra-bourense, Ana Genoveva, e o responsável para constituir o dossiê da respetiva candidatura, Manuel Pereira.

As duas estruturas rodoviárias foram construídas no ano de 1954 pelo engenheiro Edgar Cardoso. “Estas pontes são um símbolo da engenharia portuguesa daquele tempo”, declarou, em comunicado, a autarquia de Terras de Bouro. As pontes são vistas pelos promotores da candidatura como “delicadas”, mas ao mesmo tempo “de aspeto vigoroso, elegantes e bem integradas com a paisagem circundante”.

De notar que, de acordo com a Lei de Bases do Património, um bem imóvel é considerado de interesse nacional quando a respetiva “proteção e valorização, no todo ou em parte, represente um valor cultural de significado para a nação”.