A atriz e empresária Jessica Alba celebra esta quarta-feira, 28 de abril, o 40.º aniversário de uma vida constante no ecrã. A artista não só deixou a sua marca no cinema, como também em outras diversas áreas.

Nascida em Pomona, Califórnia,  Jessica é filha de Catherine Louisa e Mark David Alba e tem um irmão mais novo, Joshua. A carreira na Força Área levada pelo pai levou a família a mover-se para Biloxi, Mississipi, e Del Rio, Texas, o que contribui para o seu isolamento na escola.

Aos 9 anos, a família fixou-se em Claremont, Califórnia, onde frequentou a Escola Secundária de Claremont e a Companhia de Teatro Atlantic. Ao contrário da sua família, que descreve como “uma família latino-americana, católica e conservadora”, desde muito nova que se considera como liberal e feminista.

Em 1992, participou num concurso de atuação em Beverly Hills que tinha como prémio aulas de atuação e acabou por ganhar. Nove meses mais tarde foi contactada por um agente e, em 1994, estreou-se como Gail no filme Campo de Férias. Inicialmente, havia sido contratada por duas semanas, mas com a desistência de uma das atrizes principais, tornou-se um trabalho de dois meses.

Entre participações em filmes independentes e aparições na TV, a carreira de Alba começa a crescer ao interpretar Maya Graham em Flipper (1995 – 2000). A série, gravada na Austrália, apresenta as incríveis capacidades de natação da atriz. Jessica já tinha aprendido a nadar antes mesmo de saber andar. Além disso, teve aulas de mergulho certificadas pela Associação de Instrutores de Mergulho Profissional. Contudo, foi com o filme Nunca Fui Beijada (1999) e a comédia de terror As Mãos de Diabo (1999) que se deu um primeiro avanço na carreira de Jessica.

Ao ser selecionada entre mil candidatas, numa piscina, para atuar como Max Guevara na série da FOX, Dark Angel (2000 – 2002), Jessica conheceu, finalmente, a imensa aclamação e reconhecimento. Este papel garantiu-lhe uma nomeação aos Globos de Ouro, uma vitória como Melhor Atriz nos Prémios Saturn e outra como Atriz Escolhida nos Prémios Teen Choice. De facto, a personagem, tal como a atriz, foi descrita como um arquétipo de empoderamento e heroísmo feminista. O sucesso da personagem foi tanto que, em 2004, foi considerada uma das maiores personagens de Ficção Científica pela revista TV Guide.

Em 2005, entrou na película neo-noir Sin City – A Cidade do Pecado, onde interpretou a dançarina exótica, Nancy Callahan. Esta personagem rendendo-lhe o prémio de Performance Mais Sexy nos MTV Movie Awards. Quase dez anos mais tarde, integrou o elenco da continuação, Sin City: Mulher Fatal (2014). Também, interpretou a Mulher Invisível no bem sucedido Quarteto Fantástico (2004) e, posteriormente, na sequela Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado (2007).

Os anos foram passando e os inúmeros trabalhos de sucesso da atriz foram-se acumulando no seu portfólio. Elas Não Me Largam (2007), Acordado (2007), Dia dos Namorados (2010), Não Há Família Pior! (2010), Assassino a Preço Fixo 2 – A Ressurreição (2016) são alguns filmes marcados pela atriz.

A última vez que a atriz foi vista no grande ecrã foi no filme Assassinos Anónimos (2009). Recentemente, em entrevista à revista Romper, declarou que o seu afastamento se deveu à preocupação com a sua saúde e felicidade. Em 2020, despediu-se da personagem Nacy McKenna que representava na série L.A.’s Finest (2019-2020).

Para além de aparecer como narradora em dois videojogos. Adicionalmente, Alba protagonizou três videoclipes, incluindo o famoso Bad Blood de Taylor Swift.

No ano de 2008, casou-se com o produtor cinematográfico Cash Warren, com quem tem três filhos. É provável que tenha sido o amor de mãe que a motivou a criar, em 2011, a empresa de venda de produtos domésticos e para bebés, The Honest Company.

O bom coração e o ativismo constante de Jessica refletiu-se no envolvimento da atriz em inúmeras campanhas sociais. Em 2008, deu a cara na campanha Declare Yourself, que visava incentivar as populações mais jovens a votar nas eleições presidenciais, e demonstrou-se uma forte aliada de Barack Obama nessas eleições. Posteriormente, apoiou também a corrida presidencial de Hillary Clinton. Além disso, a artista marcou a sua presença em outras campanhas como Clothes Off Our Back, Habitat For Humanity, Soles4Souls, Step Up, Baby2Baby, 1Goal Movement e a defesa da lei DOMA.

Jessica Alba declara-se como uma mulher independente que nunca precisou de usar a sua sexualidade nem os contactos de ninguém para chegar onde chegou. Portanto, tudo se deve ao trabalho árduo e ao talento que vive nas veias de Alba, o que se comprova pelo incrível património de 340 milhões que tem na sua posse.