A iniciativa insere-se no âmbito da Capital da Cultura do Eixo Atlântico.

De 8 a 18 de julho, Braga recebe a primeira edição do Festival ZZ – Jazz no Eixo. Segundo a autarquia bracarense, este festival pretende que Braga “seja contaminada pelo melhor do jazz atual e por uma mostra de tendências e inovações várias”.

A decorrer no Theatro Circo, gnration e Espaço Vita, o evento é direcionado para as “pessoas que realmente amam o jazz”, mas também para aquelas que “amam a música”, pode ler-se no comunicado de imprensa.

O festival inicia-se a 8 de julho, com a presença da trompetista Jaimie Branch no gnration. Já o segundo dia fica marcado pela performance do trio Thumbscrew, composto Mary Halvorson Tomas Fujiwara e Michael Formanek.

A 10 de julho, o Espaço Vita recebe o quarteto composto por Dave Douglas, Franco D’Andrea, Federica Michisanti e Dan Weiss. No mesmo dia, Maria Mendes traz o álbum Close To Me ao Theatro Circo. No domingo (11 de julho), o Espaço Vita volta a abrir portas, desta vez a A’Mosi Just a Label, e o Theatro Circo ao LAN Trio, composto por Mário Laguinha Julian Argüelles e Helge Andreas Norbakken.

Na semana seguinte, o gnration “levará a palco dois quartetos de luxo”. Quinta feira (15 de julho) apresenta a paixão do saxofonista Ricardo Toscano por John Coltrane, com A Love Supreme. Por sua vez, na sexta feira (16 de julho), o trompetista Luís Vicente convida Luke Stewart, a quem se juntará o saxofonista norte-americano John Dikeman e o baterista holandês Onno Goevart.

No último fim de semana do Festival ZZ – Jazz no Eixo, o Theatro Circo recebe Yazz Ahmed, a 17 de julho. Por sua vez, o Espaço Vita traz a Orquestra Galega De Liberación, “apresentando-se em palco com 17 músicos residentes na Galiza reunidos em torno da música de vanguarda, da procura de novas formas de criação espontânea e da improvisação”, explica o comunicado.

O Festival ZZ finaliza o seu percurso com Alabaster Deplume, no Theatro Circo, e com as artistas catalãs Rita Payés e Elisabeth Roma, no Espaço Vita.