Turma barcelense quer se cimentar na primeira divisão.

“Mesmo com as adversidades, mesmo com eu tendo entrado na altura que entrei, fico com a sensação que nós poderíamos e deveríamos ter feito melhor.”. Foram estas as palavras empregues por Ricardo Soares na conferência de imprensa da última jornada da Liga NOS. Nesse mesmo cenário, o técnico ainda acrescentou: “ficar na primeira metade da tabela era uma classificação mais condizente com aquilo que nós produzimos, principalmente no último terço do campeonato”, e manifestou ainda o desejo de que “o campeonato tivesse mais dez jornadas”.

Por estas palavras, depreende-se que o objetivo do Gil Vicente FC para a nova temporada é claro: obter um lugar na tabela classificativa superior ao da temporada passada e ficar pelo menos no nono posto. Ricardo Soares, dias depois da conferência de imprensa, sublinhou este desejo numa entrevista prestada à Gil Vicente TV, onde frisou que “jogar bom futebol”, mais do que um aspeto logístico, é uma meta que a equipa barcelense quer claramente atingir.

O técnico de 46 anos avança para sua segunda temporada à frente do emblema gilista, a primeira em que realiza pré-época. Ainda assim, será necessária uma readaptação ao plantel, dadas as 15 caras novas e, em sentido inverso, os 12 atletas que abandonaram os galos.

*O plantel do Gil Vicente FC para a época 2021/2022 ainda não está fechado.

No que toca a perdas, destaque para o facto de grande parte das mesmas serem referentes a jogadores que frequentemente marcavam presença nas escolhas de Ricardo Soares. Dentro desse lote, inserem-se as saídas do guarda-redes Denis; dos defesas Ygor Nogueira, Rodrigão, Joel Pereira e Paulinho; dos médios Claude Gonçalves e Lucas Mineiro e dos extremos Lourency e Yves Baraye. Já Pedro Marques, jovem ponta de lança, terminou o seu período de empréstimo e regressou ao Sporting CP. Para além deste leque de jogadores, também Juan Villa (médio ofensivo), Quentin Bernardeau (guarda-redes) e Edwin Banguera (defesa esquerdo) não vão continuar no emblema minhoto na temporada 2021/22.

De modo a colmatar as lacunas no plantel, o Gil Vicente FC efetuou também um número considerável de contratações. Para a baliza, chegaram Stanislav Kritsyuk (ex- Belenenses SAD) e Andrew (ex-Botafogo). Para o setor defensivo, chegaram os laterais direitos Emmanuel Hackman (ex-Portimonense SC) e Zé Carlos (emprestado pelo SC Braga), e o defesa central Lucas Cunha, também proveniente dos bracarenses.

Giorgi Aburjania (ex- FC Cartagena), Jean Irmer (ex- CS Marítimo), João Caiado (ex- FC Famalicão sub-23), Matheus Bueno (ex- Coritiba FC) e Ahmed Isaiah (ex-Varzim SC) reforçaram o setor central do meio-campo barcelense. Por fim, para a linha mais ofensiva, foram contratados os extremos Murilo (ex- SC Braga) e Bilel Aouacheria, e os pontas de lança Élder Santana (ex- AD Sanjoanense), Fran Navarro (ex- Valência CF) e André Liberal (ex- GD Chaves).

A nova versão do Gil Vicente FC já teve a sua estreia oficial na temporada 2021/22. Em partida referente à 1ª fase da Allianz Cup, os gilistas venceram na casa do CD Tondela por uma bola a zero. Na segunda ronda da competição, a turma orientada por Ricardo Soares vai defrontar o FC Paços de Ferreira, novamente fora de portas, já na próxima sexta-feira.

Quanto à estreia na Liga Portugal Bwin, está agendada para o dia nove de agosto, segunda-feira, frente ao Boavista FC, no Estádio Cidade de Barcelos. Curiosamente, foi com uma derrota na receção aos boavisteiros que os gilistas fecharam a Liga NOS 2020/21, pelo que vão querer redimir-se desse resultado e começar o novo campeonato com o pé direito.