O autarca bracarense falou sobre o projeto "Talent Cities", que visa a criação de oportunidades para os jovens.

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio participou, esta quinta-feira, numa conferência digital organizada pela UNICEF. A sessão teve como finalidade a discussão das principais conclusões do relatório “Talento em movimento” sobre a integração de jovens migrantes e a proposta de novas abordagens para resolver as fragilidades encontradas.

O documento refere que os jovens migrantes são frequentemente resilientes, motivados e com experiência para superar eventuais obstáculos. No entanto, como sustenta o relatório, o seu potencial para ajudar a impulsionar a economia e a comunidade onde se inserem não tem sido devidamente aproveitado.

Relativamente a este assunto, Ricardo Rio afirmou que o Global Parliament of Mayors (GPM) adotou a iniciativa “Talent Cities”. O projeto tem o intuito de aumentar a capacidade dos dirigentes políticos de criarem oportunidades para explorar e captar talentos destes jovens. “Talent Cities” está inserido na criação de um Hub Internacional de Talento, que visa a agregação de diferentes cidades do mundo.

O autarca comunicou ainda que se for possível “assegurar oportunidades para os migrantes e refugiados, constrói-se um futuro mais risonho para os territórios e para estes jovens”. Afirmou igualmente que “a Europa como um todo enfrenta um desafio demográfico e é fundamental que exista renovação”. “A criação de ambientes inclusivos para receber os migrantes e refugiados, permitindo-lhes ser parte uma mais-valia e integrante dos projetos de desenvolvimento das cidades, permite atingir esse desígnio”, concluiu.

Por último, o presidente da Câmara bracarense realçou o trabalho que tem sido realizado no concelho em conjunto com as escolas e as associações representativas destes jovens migrantes. É importante que “tenham sucesso e sejam felizes em Braga, beneficiando da experiência e formação que aqui adquirem para ajudar o desenvolvimento da cidade ou de outros locais onde decidam viver, e dai a importância de estar inserido num projeto global como o ´Talent Cities”, concluiu.