Therapy, lançado a 23 de julho, é o segundo álbum da cantora Anne-Marie, após a estreia em 2018 com Speak Your Mind. Depois de 3 anos de espera, a cantora regressa com 12 faixas que incluem diversas participações especiais desde Little Mix e Niall Horan a Rudimental.

“x2” marca a entrada no álbum de uma forma bem à Anne Mariem mas, ao mesmo tempo, algo diferente do habitual, com uma melodia espacial a transformar-se em trap. Apresenta um refrão bastante produzido em comparação com os versos que são mais simples devido à letra e à mudança rítmica que apresenta.

thetimes.co.uk

“Don’t Play” é a primeira parceria em Therapy e conta com a colaboração de KSI e os Digital Farm Animals. O uso ao longo da música de uma harpa cria um verdadeiro ambiente de verão. Também “Kiss my (Uh Oh)”, com a banda britânica Little Mix, remete para a época em questão com Pop e K-pop à mistura, mas, este último, de uma forma subtil. A junção destas artistas foi algo gratificante para os amantes do pop. São duas canções super frescas e cheias de vida.

“Who I am” é uma música mais pessoal, introspetiva e reveladora. É uma mensagem para o mundo com uma mensagem sobre nos aceitarmos da maneira que somos e nunca deixarmos ninguém ir contra isso, “‘Cause you can love me or hate me. Nothing’s gonna change me”.

“Our Song”, com o cantor Niall Horan, é um tema já bem conhecido e comercial. O toque dos dois artistas é bem percetível, mas uníssona. Mais uma vez, é o pop a fazer-se ouvir. “Way to long”, com Nathan Dawe e MoStack, é algo único, mas ao mesmo tempo algo que já se ouviu, tal como o tema “Beautiful”. O primeiro, mexido, cativante e poderoso é mais uma ótima música de verão dentro do género dance-pop, mas não muito surpreendente depois de se ouvir o seguimento do álbum. O segundo, bonito e característico da cantora, mas não muito inovador.

“Breathing” é, provavelmente, a faixa mais distinta e cativante pela sua vertente mais balada. É realmente um sopro para um sentimento tão grande que é o amor e uma boa ponte entre as músicas tão animadas e explosivas que se ouvem até aqui.

“Unlovable” é uma faixa totalmente à Rudimental. Apesar deste destaque, a cantora mostra o que é de mais característico seu e não fica nada atrás. O mais chamativo deste tema são os toques funk e a trombeta de fundo que dão um ambiente bem diferente.

“Tell Your Girlfriend” reverte-nos mais para o R&B e é uma boa surpresa já no final do álbum. Foge um pouco do que se foi ouvindo, convidando-nos assim para um novo ambiente. “Better Not Together” é também uma música mais distinta que nos remete para uma balada que se vai transformando ao longo dos 3 minutos numa explosão de sons. No pré-refrão conseguimos ver este crescimento seguido da explosão no refrão. Foi uma ótima escolha para o penúltimo tema.

“Therapy”, tema que deu nome ao segundo álbum de carreira de Anne Marie, marca o final do projeto. Bonito, mas não o melhor de todos deixando a pensar no porquê da escolha deste título para single do álbum.

Therapy é assim um álbum bem à Anne-Marie, mas que com o passar das músicas se torna muito semelhante ao anteriormente ouvido. Algumas faixas são completamente surpreendentes e viciantes, mas outras deixam a desejar por mais. Não deixa, apesar disso, de ser algo brilhante e característico da cantora, uma artista de ouro que quer inovar e mostrar sempre o melhor de si.