O primeiro e último espetáculo dos Roda Bota Fora, em Braga, mostrou ser um sucesso.

A tour final dos Roda Bota Fora encheu a sala do Espaço Vita num espetáculo de solos e rixas amigáveis. O grupo reuniu-se no palco por volta das 21h30 de sexta-feira, dia 15 de outubro, para a sua última apresentação em Braga. Mantendo a estética dos espetáculos anteriores, não faltaram as grades de cerveja Sagres como background.

Numa sala completamente cheia e escura, o espetáculo começou com a Voz-Off do “Bolinhas”.  Assim, matando a ânsia pelo início da sessão e aquecendo as gargalhadas do público, maioritariamente jovem, “Bolinhas” introduziu os seis amigos. O grupo apareceu por breves momentos, apenas para a foto de recordação. Depois, a escuridão voltou. Individualmente, cada comediante subiu ao palco e fez um solo de cerca de dez minutos.

Pedro Durão foi o primeiro, abordando temas como escuteiros, narcóticos e ovelhas, o próprio show de Durão (Curto-Circuito) e funerais. Seguiu-se Diogo Abreu com “uma grávida na primeira quarentena e um recém nascido na segunda”. O comediante brincou com a sua situação, visto que foi pai durante a pandemia. Sem filhos e frustrado pelo grupo de amigos estar mais “avançado” do que ele nesse aspeto, Pedro Sousa comentou o seu lado negacionista. O artista não quer ter filhos por não virem “prontos”.

Já Carapeto levantou questões sobre eventos ao ar livre e como a pandemia veio agitar a posição da comédia nas festas. O comediante refletiu sobre a sua situação familiar e as taras pelos programas de culinária de hoje em dia. Seguiu-se Guilherme Fonseca, que enumerou os motivos pelos quais poderá ser cancelado no futuro. A lista contou com grávidas, pessoas obesas, trânsito e videojogos que levam a xenofobia. O último artista a atuar foi Duarte Silva, que refletiu sobre a morte da sogra.

No final, o jogo Roda Bota Fora entrou em cena. O convidado especial desta sessão foi João Pereira, um artista conhecido da época académica do grupo. Durante a jogada, a roleta russa calhou no Bigode, uma das categorias dinâmicas do jogo. Esta permite a um dos comediantes chamar alguém do público para contar uma anedota. Depois de um jogo cheio de piadas e de sorteios de chocolates, bolachas e outros objetos lançados ao público, Carapeto acabou por ganhar esta primeira e última edição do Roda Bota Fora em Braga.

No fim do espetáculo houve a tradicional sessão de fotografias entre comediantes e fãs. Os artistas mantiveram sempre a energia divertida. “Eu vi os espetáculos no YouTube e tive interesse neles (Roda Bota Fora) pelo facto de serem mais próximos da nossa idade. Por terem uma visão da vida semelhante à nossa e de falarem sobre problemas facilmente relacionáveis. No fundo eles resumem um pouco aquilo que deve ser o humor, ou seja, pegar nas coisas mais sérias e amenizá-las.”, declarou um fã do grupo ao ComUM.