Arthur Ira Garfunkel, mais conhecido pelo seu nome artístico Art Garfunkel e pela dupla Simon & Garfunkel, completa hoje 80 anos. Um poeta, ator e cantor americano que conta com uma multiplicidade de álbuns, singles e atuações cinematográficas.

Garfunkel, natural de Forest Hills em Nova Iorque, fazia parte de uma família com três irmãos, sendo ele o do meio. Os seus pais, Rose e Jacob Garfunkel, mudaram-se para Manhattan. Isto levou a que a carreira de Art tivesse início nos EUA. Afinal, a sua paixão pela música começou bastante cedo. Quando frequentava o primeiro ano, cantava com a ajuda do eco feito pelas escadas da escola e, poucos anos mais tarde, deu uso a um gravador de fio oferecido pelo seu pai. O fervor musical e a sua vontade de evoluir foram crescendo gradualmente.

theguardian.com

Garfunkel e Paul Simon conheceram-se mais tarde, formando, de forma definitiva em 1963, a famosa dupla Simon and Garfunkel. “Mrs. Robinson” (1968) recebeu o Grammy de melhor música do ano e Bridge Over Troubled Water (1970) o Grammy de melhor álbum. Foram várias as outras excelentes obras musicais que foram lançadas e reconhecidas por todo o mundo. Ao longo de todo este sucesso, o músico nunca deixou de exercitar a sua veia poética e chegou, inclusive, a publicar alguns trabalhos.

Para além das músicas que lançou em conjunto com Simon, Garfunkel teve bastantes êxitos na sua carreira a solo. As músicas “Breakaway” e “I Only Have Eyes for You”, ambas lançadas em 1975, foram as que lhe deram mais reconhecimento. Porém, as faces múltiplas não ficaram por aqui. Nos anos 70, Garfunkel aparece pela primeira vez no mundo do cinema. Inicialmente, apareceu em filmes como Catch-22 (1970) e Carnal Knowledge (1971), chegando a participar na série televisiva da HBO, Flight of the Conchords (2009). O filme mais recente em que participou foi The Rebound, em 2010.

rollingstone.com

Apesar de a sua carreira parecer ir de vento em popa, o artista viveu momentos bastante negros. No início dos anos 70, Laurie Bird, na altura sua namorada, suicidou-se. Isto levou a que Art entrasse numa profunda depressão. Ademais, depois de uma tentativa de se reerguer, lançou um álbum em homenagem a Laurie, mas este não teve a melhor receção. Tentou ainda uma reconciliação com Simon, depois de alguns anos na experimentação de carreiras a solo. Contudo, acabou num grande desentendimento e sem nenhuma produção. O tenor acabou por desaparecer uns tempos do panorama musical devido à morte do seu pai. Só em 1988, no ano em que casou, lançou um álbum de regresso.

Como depois da tempestade vem a bonança, com o início dos anos 2000, a normalidade regressou à vida de Garfunkel. Juntou-se a Simon para diversos projetos e até mesmo uma tour. Porém, devido a um incidente de engasgamento com uma lagosta, desenvolveu problemas nas cordas vocais limitaram algumas participações nos anos mais recentes. Chegou, contudo, a afirmar que a situação havia melhorado. Aliás, nada disto o impediu de aparecer no programa de Jimmy Fallon em 2015.

Apesar da sua aparição no mundo do cinema e de alguns projetos enquanto poeta, Art Garfunkel acabou por ser um dos homens mais glorificados no mundo da música, quer pelo seu trabalho colaborativo, quer a solo. Ao todo, foi premiado com oito Grammys e foi considerado um dos 100 melhores cantores de todos os tempos por inúmeras revistas. Celebramos, por tudo isto, os 80 anos de uma lenda que, apesar de ter começado a sua carreira em 1960, continua viva na memória de muitos até aos dias de hoje. E acreditamos que por muito mais tempo.