O Natal é uma época muito peculiar. Afinal, o que se resume a dois dias é vivido ao longo de quase um mês. As sensações de nostalgia, felicidade e conforto inundam esta festividade e, por isso, tentamos antecipá-la ao máximo. Para ajudar a entrar no espírito natalício, o ComUM reuniu dez músicas de Natal.

“It’s Beginning to Look a Lot like Christmas”, Michael Bublé – Lançada no dia 24 de outubro de 2011, “It’s Beginning to Look a Lot like Christmas” nunca deixou de ser um dos maiores hits natalícios. Pela sua letra conseguimos sentir perfeitamente a descrição da belíssima época que é o Natal. A harmonia e ritmo presentes, juntamente com a voz suavizante de Bublé, conseguem transmitir a compaixão, a energia e o calor aconchegante que definem a festividade. Esta que é a primeira faixa do álbum Christmas (2011) tornou-se numa das mais famosas por todo o globo. Alcançou a 23ª posição na Billboard Hot 100 e continua a fazer parte dos grandes temas que animam o nosso tão adorado Natal.

“Jingle Bell Rock”, Bobby Helms – “Jingle Bell Rock” é uma canção de Natal americana lançada pela primeira vez em 1957. Composta inicialmente por Joseph Carleton Beal e James Ross Boothe, a letra não agradava Helms. Porém, juntamente, com o guitarrista Hank Garland, decidiu trabalhar na música e atribuir-lhe a forma desejada. Num estilo semelhante ao estilo rockabilly de Elvis Presley, o cantor conseguiu que a música alcançasse o 6º lugar na tabela dos Top 40 da revista Billboard. A obra musical continua a fazer parte da época natalícia todos os anos e nunca desilude quando nos chega aos ouvidos.

“Thank God It’s Christmas”, Queen – Lançado em 1984, “Thank God It’s Christmas” é um single natalício da banda de rock britânica Queen. Inicialmente, aparenta tratar-se de uma canção comum. Contudo, assim que ouvimos o som de sininhos, algo tão característico desta época, rapidamente criamos na nossa cabeça a imagem do Pai Natal a viajar de trenó. Apesar de esta data ser muitas vezes motivo de stress e agitação é, por outro lado, uma celebração do amor e da alegria. Nisto, acabamos sempre por “dar graças” por finalmente a estarmos a comemorar.

“Santa Tell Me”, Ariana Grande – “Santa Tell Me”, da cantora norte-americana Ariana Grande, é uma das faixas preferidas assim que dezembro bate à porta. Apesar de moderna, a canção tem todos os ingredientes de um hino natalício. Através de uma batida cativante e dos característicos sinos, a intérprete implora para que o Pai Natal não a deixe apaixonar-se novamente se a relação não estiver destinada a continuar no ano seguinte. A letra é clichê, mas o instrumental claramente pop é viciante, o que contribui para que o tema continue nas listas de reprodução do Spotify ano após ano.

“All I want for Christmas Is You”, Mariah Carey – Este hit de Mariah Carey é o verdadeiro hino contemporâneo do Natal. Lançada em 1994, quase nunca deixou de estar nos Billboard Hot 100 neste mês festivo. Aliás, quando esteve de fora, foi apenas por regras aplicadas de forma a evitar a sucessiva repetição de alguns temas. Cheio de sinos, de um ritmo acelerado e de uma voz poderosíssima, esta música já teve diversos remixes e readaptações. Dentro destas, destacamos a versão de Michael Bublé e a colaboração com Justin Bieber.

“It´s The Most Wonderful Time of the Year”, Andy Williams – Este tema de 1963, descreve-nos ao longo da sua letra todas as razões que fazem do Natal a época mais bonita do ano. A referência aos convívios com amigos e família, ao azevinho, aos desejos de boas festividades que damos a todos que passam por nós, a música deixa-nos mesmo a imaginar e desejar que esta época chegue rápido. Como qualquer clássico, já foi alvo de várias adaptações, inclusive novas versões de Andy Williams, mas nenhuma conquistou os nossos corações como a de 1963.

Mistletoe”, Justin Bieber – Esta que é uma das faixas principais do álbum Under The Mistletoe (2011), fala-nos, mais uma vez, de um amor na época natalícia. “Mistletoe” teve uma receção crítica bastante positiva, nomeadamente, porque foi o início da era de mostrar que Justin Bieber também conseguia fazer músicas que agradassem as camadas adultas. O tema chegou a ser a quinta música mais bem-sucedida do cantor canadiano.

“Let It Snow!, Let It Snow!, Let It Snow!”, Frank Sinatra – Este tema, mais conhecido apenas por “Let It Snow!” foi criado por Sammy Cahn e Jyle Styne em 1945, durante um nevão. A música não tem nenhuma referência ao Natal. Contudo, a associação da neve a esta época do ano levou a que o tema se tornasse um must-listen na altura de montar a árvore. O verdadeiro sucesso surgiu em 1950, quando Frank Sinatra fez a sua adaptação, juntamente com os The B. Swanson Quartet e, quando pensamos na música, normalmente é esta a versão de que nos lembramos. O ano passado, a versão de Sinatra ganhou um videoclipe oficial que, não destoando da música, apesar de falar de neve, aquece o coração.

“Last Christmas”,  Wham! – Lançada em 1984, “Last Chritmas” é uma música de Natal peculiar. Já estamos habituados a que as músicas de Natal falem de amor, mas não de desamor. Neste tema a banda britânica Wham! fala de entregar o coração a alguém e acabar por sair magoado. Apesar da temática diferente para uma época tipicamente feliz, a música continua a conquistar primeiros-lugares. Ademais, ouvir a música é também um gesto solidário, visto que os royalties são propriedade de um programa que objetiva combater a fome na Etiópia.

“Santa Claus Is Coming To Town”, Michael Bublé – “Santa Claus Is Coming To Town” foi escrita por J. Fred Coots e Haven Gillespie e originalmente cantada por Eddie Cantor, num programa de rádio em 1934. Já nesta altura foi um grande sucesso, foram vendidas mais de 30.000 cópias em 24h. Ao longo dos anos, a música foi cantada por grandes nomes da indústria, tais como as Andrew Sisters, Ella Fitzgerald, Frank Sinatra, Jackson 5, os Aerosmith, Miley Cyrus e Justin Biber. Porém, a versão que ecoa pelas ruas repletas de decorações de Natal é a de Michael Bublé. Este hit natalício, para além de nos meter em segundos no espírito certo para a festividade, também é comummente usado para incentivar as crianças para que se portem bem, de modo a receberem prendas do Pai Natal.

 

Artigo por: Ana Beatriz Ferreira, Inês Loureiro e Leonor Alhinho