Proveniente da mente romântica de Candace Camp, Corações Selvagens foi lançado em 2002. Apesar de à primeira vista nos parecer o típico romance cliché, esta é uma obra que nos prende de início ao fim.

Todos os personagens asseguram à heroína que o herói não é tão mau como geralmente se crê. Um conde bastante imprudente, que gasta toda a sua herança e ignora por completo os seus deveres enquanto proprietário de diversas terras, não dará um bom marido à partida. No entanto, Miranda Upshawl, uma americana com um grande poder financeiro, é obrigada a casar com Devin Aincourt.

DR

Este casamento é visto como um fracasso desde o início, porém, a autenticidade e inteligência de Miranda conseguem eliminar a maldição financeira da família Aincourt. Devin, vê-se cada vez mais apaixonado e perdido nos olhos da mulher com quem casou por obrigação. Desta forma, era de esperar que Miranda iria conseguir mudar a figura do conde de Ravenscar, afinal todos os romances costumam ter esta tipologia. No entanto, a obra de Candace Camp mostra-nos uma heroína um pouco diferente das obras habituais.

A personagem feminina é astuta e assertiva, compreende como funcionam os assuntos financeiros da época e toma decisões acertadas. Assim, é este o encanto que provoca nos leitores a intriga. Observamos uma heroína dominante que capta a atenção do seu homem primeiro e acaba por o fragilizar. Por sua vez, o personagem masculino é caracterizado como frio e despreocupado.

Devin é descrito de forma negativa, mas ao longo das páginas e da sua história pessoal conseguimos perceber o porquê. Aqui é que a obra nos espanta positivamente ao abordar um assunto profundo que ainda perdura nos dias de hoje, o adultério. As fragilidades deste homem, que desde jovem foi rodeado por más companhias, vão sendo então reveladas. Através desta temática que nos toca, este torna-se numa figura bastante passiva, apaixonante e terna para os leitores.

No geral, o romance pode ser considerado previsível, mas não deixa de ser um bom romance. Nas últimas páginas, deparamo-nos com um acontecimento inesperado que, para alguns, pode ser uma barreira para a continuação da leitura devido à sua aleatoriedade na obra. De uma certa forma este acabou por torná-la menos banal. Contudo, ainda assim, foi algo que se fosse retirado apenas fazia melhor à história narrada.

Corações Selvagens é então uma obra com grande potencial e uma boa leitura, dependendo da perspetiva do leitor. Apesar de certos aspetos menos positivos, continua a ser uma obra bastante querida para muitos. A obra oferece um mundo de fantasia e romance que raramente encontramos no mundo real, e isso faz-nos sonhar e ter cenários agradáveis na nossa mente.