Considerado por muitos o melhor álbum da carreira de Britney Spears, In the Zone, lançado em novembro de 2003, atingiu o top 5 dos charts de 14 países. Contando com colaborações de Madonna e Ying Yang Twins, o projeto também inclui um dos seus maiores sucessos “Toxic”. Esta música rendeu o primeiro e único Grammyda carreira de Britney para Melhor Gravação Dance.

In the Zone abrange estilos muito urbanos como house, pop, dance e hip-hop. Estilos que parecem ser os mais confortáveis para Britney, como é percetível pelos seus trabalhos previamente lançados. As letras mostram uma artista mais madura, abordando temas como o amor (ou a sua inexistência), a dança e a sua sexualidade de uma forma mais aberta. Este álbum marca quase que uma transição da adolescente de “…Baby One More Time” para uma Britney mais adulta.

mag.sapo.pt

“Me Against the Music” é a faixa que abre o álbum e igualmente o primeiro single lançado. Britney é conhecida por ter pouquíssimas parcerias, mas parece que tanto a princesa quanto a rainha do pop, para nosso agrado, se renderam a colaborarem juntas. A parceria com a icónica Madonna centra-se especialmente na temática da dança. Ambas exprimem a sua vontade de dançar, não ligando ao que as pessoas possam dizer. No final da música Madonna canta “Come on Britney, lose control, watch you take it down” quase como se estivesse a passar o seu legado musical a Britney.

Uma das faixas mais singulares do álbum é “Breathe On Me”. O seu ritmo quase psicadélico e os vocais discretos e suaves parecem transportar o ouvinte para um outro mundo. Contrariando toda a mensagem do álbum e de outras músicas também (como é o caso de “3”), Britney descreve uma relação de sexo casual com apenas um parceiro. A letra da música envolve um lado mais sensual. Todo o conjunto desde a produção, à composição, à mensagem dá resultado a uma sonoridade extraordinária para os ouvidos de qualquer um.

Não deixa de ser curioso que um dos maiores hits de Spears, se não mesmo o maior, seja uma música descartada de uma outra artista. “Toxic” foi escrita inicialmente para Kylie Minogue, que rejeitou a música e então passou-a para as mãos da princesa do pop. A faixa que ganhou vários prémios inclusive o de “Gravação Mais Importante da Década”, conta com uns pequenos acordes agudos que provêm do Bollywoodtornando a música instigante. A letra relata um amor tão tóxico entre duas pessoas que se torna quase como uma droga, fazendo Britney afirmar estar “viciada” nele.

Totalmente diferente de qualquer outra faixa do álbum é “Everytime”. Com uma letra arrepiante e com vocais ofegantes, a música torna-se um pedido de desculpas da artista por ter magoado um ex-amante de forma não intencionada. Apesar de nunca ter sido confirmado pela própria, o compositor afirmou que o pedido de desculpas da música se direciona a Justin Timberlake, seu ex-namorado. No refrão, Britney refere que, sem o ex-namorado, se sente insegura e sozinha. Metaforicamente, fala dele como se das suas asas se tratasse, como a pessoa que lhe dava apoio nos momentos difíceis e agora, sem ele, sente-se incapaz de voar e vai começando, assim, a cair aos poucos.

In the Zone é, deste modo, um álbum bastante coeso, visto que todas as suas músicas se encadeiam excelentemente umas nas outras. Este é um álbum excessivamente querido aos fãs. Mesmo quem não é tão apreciador do trabalho de Britney consegue passar um bom momento com este projeto. É uma ótima mistura de elementos e géneros musicais, resultando assim numa impecável compilação.